icons.title signature.placeholder RNL / LANCEPRESS!
05/11/2014
14:13

O gestor do Londrina, Sérgio Malucelli, admitiu que houve erros de seus comandados na batalha campal envolvendo a equipe e o Brasil-RS, sábado passado, no estádio do Café. Para o cartola, o time caiu na catimba dos gaúchos e depois errou ao partir para a violência.

O ano, que teve o fim da fila de conquistas importantes com o título estadual e o acesso à Série C, terminou com cenas de selvageria no Café.

- Foi um ano maravilhoso, conseguimos conquistar tudo o que queríamos, mas infelizmente tivemos esse episódio no final, que borrou todo o trabalho que fizemos, mas nem por isso vai estragar. Acabamos caindo na pilha do treinador deles. Infelizmente aconteceu o que aconteceu, tivemos nossa culpa também, mas tenho certeza de que se não fosse o treinador deles nada teria acontecido.

Para ele, o grande responsável pelo tumulto foi Rogério Zimmermann, que teria provocado membros da comissão técnica alviceleste. Malucelli também lembrou que o clube não teria sido bem recebido no jogo de ida, em Pelotas. Criticou a estrutura do estádio Bento Freitas e o tratamento dado ao Tubarão.

- Não estou querendo de forma alguma eximir a nossa culpa. Nós tivemos culpa também, tivemos atos que não devíamos ter feito. Temos que buscar a nossa defesa, pois sabemos que vai acontecer alguma coisa.

E essa defesa será em cima da tese de que Zimmermann foi o causador da discórdia. Na segunda-feira, o ex-presidente do Londrina, Osvaldo Sestário Filho, concedeu entrevista à Folha de Londrina como advogado do clube neste caso. No entanto, Malucelli negou que o tenha contratado e disse que o clube ainda vai procurar um advogado.

O principal ponto que pode incriminar o Tubarão está nas agressões contra o cinegrafista da RBS TV, Jefferson Kickhofel. Funcionários do clube tentaram tomar a câmera dele, o derrubaram no chão e o agrediram. Eram pelo menos 15 pessoas. Foi depois disso que a briga generalizada se iniciou.

- O cinegrafista não poderia estar no campo, pois não tinha credencial. Foi uma falha da segurança - argumentou Malucelli.

ALEX BRASIL DEIXA O CLUBE

Flagrado exigindo que o cinegrafista apagasse as imagens, o gerente de futebol do clube Alex Brasil oficializou ontem sua saída do Londrina. Ele deve assumir o mesmo cargo no Caxias, clube que estará no mesmo grupo do Tubarão na Série C de 2015. Ele fez apenas um breve pronunciamento sobre a saída e não quis comentar as agressões ao cinegrafista.

Questionado se o clube deixaria de permitir que funcionários que não estivessem efetivamente trabalhando na partida ficassem dentro do campo (o clube já foi punido em 2014 por uma atitude intempestiva de um funcionário sem credenciamento), Malucelli disse que já toma esse tipo de atitude.

- São pessoas que estavam envolvidas no jogo. Na hora da confusão quando a gente vê já foi todo mundo. Eu mesmo fiz isso ano passado no jogo contra o Coritiba, agredi o bandeira e fui punido. Você acaba passando por essa experiência para fazer alguma coisa. Nós já tentamos diminuir isso tanto que esse ano não havia acontecido nada.