icons.title signature.placeholder Igor Siqueira
12/11/2014
11:29

Enquanto os times profissionais da dupla Ba-Vi agonizam na Série A do Brasileirão e tentam, em um último suspiro, sair da zona de rebaixamento, o cenário na base é completamente oposto. Prova disso é o confronto entre Bahia e Vitória em uma das semifinais da Copa do Brasil sub-20, cujo primeiro jogo ocorreu na terça-feira e terminou com triunfo rubro-negro por 2 a 0.

E não é a primeira vez que a garotada dos dois rivais baianos vai bem na competição nacional. Em 2012, o Leão foi campeão, com o Tricolor caindo para o Atlético-MG na semifinal. Ou seja, mesmo cambaleando com os times de cima, a dupla dá bom exemplo com os jovens.

– Enxugamos a base recentemente com duas peneiras internas. Valorizamos a qualidade da formação. Não pode valorizar mais a competição. Poderíamos não estar na semifinal que ainda assim o trabalho estaria dando certo – disse ao LANCE!Net Miguel Kertzman, responsável pela base tricolor.

Os frutos recentes vindos do Bahia, que tem 130 atletas nas categorias inferiores, são conhecidos, como Gabriel, que está no Flamengo, e Anderson Talisca, hoje no Benfica e recém-convocado para a Seleção Brasileira. Neste ano, seis jogadores foram aproveitados no time de cima: o volante Bruno Paulista, os laterais Railan e Pará, o atacante Jean e os goleiros Guido e Jean.

No Vitória, o discurso de prezar por uma filosofia de qualidade é repetido. O Leão tem como frutos recentes Elkeson, David Luiz, Anderson Martins e Marcelo Moreno.

– Valorizamos a busca por bons atletas e as melhores condições para os jogadores e comissão técnica. Temos colocado muitos jogadores nos profissionais. Mesmo com o clube em situação delicada, existe um trabalho bem feito na base, que pode ser aproveitado no futuro. Jogar um clássico na semifinal da Copa do Brasil faz parte da lapidação – comentou Carlos Anunciação, o Carlão, que comanda a base rubro-negra.