icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
06/11/2014
01:23

Após a vitória histórica sobre o Flamengo por 4 a 1, Levir Culpi, técnico do Atlético-MG, tentou explicar um pouco daquilo que não conseguiu dizer ainda no campo de jogo, minutos depois da vitória no Mineirão. Um pouco mais calmo, mas ainda quase não acreditando em mais um milagre do Galo, o treinador fez referência a Albert Einstein, falou do desempenho em campo dos jogadores e ainda comentou a final inédita contra o rival Cruzeiro.

- Vou ser sincero. Nesse momento, o técnico deve falar pouco. Todo mundo viu o empenho dos jogadores, algo fora do normal. O grito de fora para dentro foi uma fusão que o Flamengo não conseguiu conter. Precisamos parabenizar a torcida e o time, porque é uma classificação que ficará marcada para sempre - comentou o treinador.

Experiente e com muita bagagem na carreira, o treinador até tentou, mas se rendeu aos acontecimentos da noite deste quarta-feira, em mais um momento que o futebol e o Atlético-MG podem proporcionar.

- Eu costumo dizer que Einstein tentou explicar a existência do universo com suas teorias e não conseguiu. Já eu estou há 40 anos no futebol e não consigo explicar. Não que eu me compare com Einstein, até porque sou mais inteligente que ele. Mas estou feliz por ver o grupo tão concentrado - brincou o treinador.

Como não podia faltar, o treinador não fugiu das perguntas sobre o próximo adversário atleticano na Copa do Brasil. Ninguém menos que o rival Cruzeiro. Ao seu favor, Levir citou o espírito e o sangue de vitória demonstrado pelos atleticanos.

- Acredito que podemos vencer o Cruzeiro. Já vencemos uma vez, isso não nos dá o favoritismo, até porque o time deles tem uma coordenação melhor. Mas nós temos sangue de vencedor - encerrou.