icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
11/02/2015
17:14

Após deixar a presidência do Santos, no fim do ano passado, Odílio Rodrigues lançou um site chamado Transparência Santista. A publicação, que já tem alguns posts, tem o objetivo de dar explicações de atos da última gestão, já que diversos conselheiros de oposição criticam publicamente atitudes como a complexa venda de Neymar, e os empréstimo bancários avalizados em nome de ex-dirigentes da gestão anterior.

No caso dos avais bancários, a publicação rebate o atual presidente Modesto Roma Júnior, afirmando que os textos publicados no site anteciparão o resultado de uma auditoria que será feita pelos atual gestão. 

"Em respeito ao torcedor e no resgate da verdade, aproveitamos esse novo espaço para esclarecer o que realmente aconteceu. Se o trabalho da auditoria contratada for profissional, competente e ético, como tanto a Diretoria que a contratou quanto a comunidade santista esperam, sua conclusão comprovará o teor deste artigo. Como temos certeza da verdadeira história, entendemos que esses esclarecimentos são, portanto, uma verdadeira “antecipação” dos resultados da auditoria.", cita uma parte da explicação.

Em outro trecho, o texto escrito pelo ex-vice-presidente Luiz Claudio de Aquino, relata que, tanto ele quanto Odílio, assinaram avais bancários junto ao banco Itaú e que alguns foram liquidados. No entanto, outros comprometerão rendas futuras do Santos.

"Para se assinar um aval em primeiro lugar é preciso ter crédito na praça. Em seguida, é preciso ter amor pelo clube. Ao longo desses cinco anos, diversos avais foram assinados pelos membros do Comitê de Gestão. Alguns deles foram vencendo e sendo liquidados ou reformados. Alguns da época do presidente Marcelo Teixeira, outros mais recentes. Por vezes, por condição do banco, a operação deveria ter seu valor principal amortizado a cada mês. Dessa forma, certos avais se extinguiriam, como de fato se extinguiram, ao final do prazo da operação financeira. Outros avais tiveram como garantias receitas futuras do clube, de instituições ligadas ao futebol (como a Federação Paulista de Futebol e Rede Globo). São atos de gestão que compõem o cenário de governança. Não só a operação exemplificada ficou com avais dos antigos dirigentes mas outras, junto a outros bancos, também restaram.", explicou.

Em outros posts no site, como o texto sobre a negociação do atacante Neymar para o Barcelona (ESP), Odílio assinou a publicação. Esta foi a primeira vez que ele se pronunciou publicamente desde que deixou a presidência do Alvinegro. Antes disso, o LANCE!Net tentou contatá-lo, mas ele preferiu não dizer mais nada, além de desejar boa sorte a Modesto Roma.

Odílio Rodrigues foi eleito vice-presidente do Santos em 2009 e passou a exercer a função de presidente em 2013, quando Luis Alvaro pediu licença médica. Em 2014, quando o mandatário deixou o cargo, Odílio assumiu de fato a presidência, elegendo Aquino como seu vice.