icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
icons.title signature.placeholder Renato Rodrigues
28/07/2013
09:10

O mundo dá voltas. O famoso ditado se encaixa no Majestoso deste domingo, às 16h, no Pacaembu. Depois de quebrar sua maior série de derrotas consecutivas contra o São Paulo, em 2000, o Timão agora tem a chance de aumentar o semelhante recorde negativo do rival. Ou vai retribuir o “favor” desta vez?

Em 2000, na Copa João Havelange (o Brasileirão daquele ano), o Corinthians perdeu dez seguidas. Para piorar, teria de enfrentar o rival no Morumbi e com amplo favoritismo do Tricolor. A equipe de se segurou como pôde na defesa e arrancou um milagroso 0 a 0 naquela tarde de 12 de novembro. Se não fosse o árbitro, que anulou um gol legal de Dinei, aos 41 minutos do segundo tempo, o cenário seria melhor.

Com oito derrotas seguidas e 11 jogos sem vencer, o São Paulo tem agora o pior recorde de toda a sua história. Antes dessa, a pior sequência negativa do São Paulo foi na temporada de 1936.

Treinador do Timão na época, Candinho apontou uma grande diferença nos momentos dos rivais.

– O Corinthians não tinha essa pressão política que o São Paulo tem hoje, não tinha eleições se aproximando. Por isso você trabalha só no campo, não tinha a ver com bastidores. A pressão era grande, mas não tinha essa repercussão que está tendo do São Paulo. Precisávamos nos acertar mais dentro de campo mesmo – disse ao LANCE!Net, lembrando do atual momento político do clube, que realizará eleição para presidente em abril da próxima temporada.

Mesmo depois de 13 anos, Candinho, atualmente diretor de futebol da Portuguesa, se exime um pouco da culpa pela sequência do Corinthians, mesmo comandando o time em sete das dez derrotas.

– Você chega e tenta mudar alguma coisa para ganhar. Nessa situação, tentar recuperar a confiança , mas as vezes não dá certo – afirmou.

Com força total frente ao São Paulo, o Timão pode chegar ao quinto Majestoso sem perder. Em 2013 foram três vitórias e um empate. Agora luta para não retribuir o “favor”.


A ficha técnica da partida:

São Paulo 0 x 0 Corinthians

São Paulo: Rogério Ceni, Pimentel, Jean, Rogério Pinheiro e Alemão; Alexandre Silva, Fábio Simplício, Souza (Julio Baptista) e Carlos Miguel (Axel); Marcelo Ramos (Sandro Hiroshi) e França Técnico: Levir Culpi

Corinthians: Maurício, Índio, Fábio Luciano, Scheidt e Kléber; Rogério, Djair, Márcio Costa e Ricardinho (Dinei); Marcelinho Carioca e Fernando Baiano Técnico: Candinho

ÁRBITRO: Romildo Corrêa (SP) 4,0
RENDA/PÚBLICO: R$ 114,409,00 / 17.691 pagantes
CARTÕES AMARELOS: Rogério Ceni e Rogério Pinheiro (SAO); Fábio Luciano e Fernando Baiano (COR)
CARTÕES VERMELHOS: Sandro Hiroshi (SAO)
LOCAL: Morumbi, São Paulo (SP)


A série de dez derrotas:

28/9 - Corinthians 2x3 Atlético-PR - Pacaembu
7/10 - Corinthians 2x3 Portuguesa - Pacaembu
11/10 - Bahia 2x1 Corinthians - Fonte Nova
15/10 - Guarani 3x2 Corinthians - B. de Ouro
18/10 - Olimpia (PAR) 3x2 Corinthians - D. del Chaco
22/10 - Corinthians 2x3 Fluminense - Pacaembu
25/10 - Sport 3x1 Corinthians - Ilha do Retiro
1/11 - Internacional 1x0 Corinthians - Beira-Rio
4/11 - Cruzeiro 1x3 Corinthians - Mineirão
9/11 - Corinthians 1x2 Juventude - Pacaembu


Os técnicos da crise:

Vadão
O treinador que iniciou a série. Depois de duas derrotas, saiu do cargo.

Waldir de Moraes
Assumiu como interino por um jogo e perdeu para o Bahia, em Salvador.

Candinho
Perdeu as outras sete até empatar com o São Paulo. Derrotado mais duas vezes até dar lugar a Darío Pereyra.

O mundo dá voltas. O famoso ditado se encaixa no Majestoso deste domingo, às 16h, no Pacaembu. Depois de quebrar sua maior série de derrotas consecutivas contra o São Paulo, em 2000, o Timão agora tem a chance de aumentar o semelhante recorde negativo do rival. Ou vai retribuir o “favor” desta vez?

Em 2000, na Copa João Havelange (o Brasileirão daquele ano), o Corinthians perdeu dez seguidas. Para piorar, teria de enfrentar o rival no Morumbi e com amplo favoritismo do Tricolor. A equipe de se segurou como pôde na defesa e arrancou um milagroso 0 a 0 naquela tarde de 12 de novembro. Se não fosse o árbitro, que anulou um gol legal de Dinei, aos 41 minutos do segundo tempo, o cenário seria melhor.

Com oito derrotas seguidas e 11 jogos sem vencer, o São Paulo tem agora o pior recorde de toda a sua história. Antes dessa, a pior sequência negativa do São Paulo foi na temporada de 1936.

Treinador do Timão na época, Candinho apontou uma grande diferença nos momentos dos rivais.

– O Corinthians não tinha essa pressão política que o São Paulo tem hoje, não tinha eleições se aproximando. Por isso você trabalha só no campo, não tinha a ver com bastidores. A pressão era grande, mas não tinha essa repercussão que está tendo do São Paulo. Precisávamos nos acertar mais dentro de campo mesmo – disse ao LANCE!Net, lembrando do atual momento político do clube, que realizará eleição para presidente em abril da próxima temporada.

Mesmo depois de 13 anos, Candinho, atualmente diretor de futebol da Portuguesa, se exime um pouco da culpa pela sequência do Corinthians, mesmo comandando o time em sete das dez derrotas.

– Você chega e tenta mudar alguma coisa para ganhar. Nessa situação, tentar recuperar a confiança , mas as vezes não dá certo – afirmou.

Com força total frente ao São Paulo, o Timão pode chegar ao quinto Majestoso sem perder. Em 2013 foram três vitórias e um empate. Agora luta para não retribuir o “favor”.


A ficha técnica da partida:

São Paulo 0 x 0 Corinthians

São Paulo: Rogério Ceni, Pimentel, Jean, Rogério Pinheiro e Alemão; Alexandre Silva, Fábio Simplício, Souza (Julio Baptista) e Carlos Miguel (Axel); Marcelo Ramos (Sandro Hiroshi) e França Técnico: Levir Culpi

Corinthians: Maurício, Índio, Fábio Luciano, Scheidt e Kléber; Rogério, Djair, Márcio Costa e Ricardinho (Dinei); Marcelinho Carioca e Fernando Baiano Técnico: Candinho

ÁRBITRO: Romildo Corrêa (SP) 4,0
RENDA/PÚBLICO: R$ 114,409,00 / 17.691 pagantes
CARTÕES AMARELOS: Rogério Ceni e Rogério Pinheiro (SAO); Fábio Luciano e Fernando Baiano (COR)
CARTÕES VERMELHOS: Sandro Hiroshi (SAO)
LOCAL: Morumbi, São Paulo (SP)


A série de dez derrotas:

28/9 - Corinthians 2x3 Atlético-PR - Pacaembu
7/10 - Corinthians 2x3 Portuguesa - Pacaembu
11/10 - Bahia 2x1 Corinthians - Fonte Nova
15/10 - Guarani 3x2 Corinthians - B. de Ouro
18/10 - Olimpia (PAR) 3x2 Corinthians - D. del Chaco
22/10 - Corinthians 2x3 Fluminense - Pacaembu
25/10 - Sport 3x1 Corinthians - Ilha do Retiro
1/11 - Internacional 1x0 Corinthians - Beira-Rio
4/11 - Cruzeiro 1x3 Corinthians - Mineirão
9/11 - Corinthians 1x2 Juventude - Pacaembu


Os técnicos da crise:

Vadão
O treinador que iniciou a série. Depois de duas derrotas, saiu do cargo.

Waldir de Moraes
Assumiu como interino por um jogo e perdeu para o Bahia, em Salvador.

Candinho
Perdeu as outras sete até empatar com o São Paulo. Derrotado mais duas vezes até dar lugar a Darío Pereyra.