icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
27/02/2015
16:12

A saída de Maicon para o Grêmio está praticamente selada, e o volante deve permanecer em Porto Alegre, a princípio, até o fim desta temporada. Mas o São Paulo não ficará de mãos vazias na transação com o clube gaúcho. Isso porque os gremistas devem mandar dois atletas da base para ficarem também até o fim de 2015 no Tricolor Paulista.

Essa é uma filosofia que o Grêmio conhece bem e agora foi apresentada ao São Paulo pelo gerente-executivo da base - e ex-coordenador gremista - Júnior Chávare. Contratado pelos paulsitas no fim do ano passado, o dirigente já colocou esse plano em prática recentemente quando recebeu o meia Shayron para o time sub-17 após a diretoria do profissional emprestar o lateral Caramelo para a Chapecoense. Os dois empréstimos são de um ano.

Por se tratar de um atleta mais experiente e frequentemente titular no time do Morumbi, Maicon deve render até duas revelações gremistas para o período de experiência no CFA Laudo Natel, em Cotia. A ideia de trazer as joias do clube gaúcho foi apresentada desde o início das negociações pelo volante, mas ainda não está definido quais jogadores serão envolvidos na troca.

Na cabeça dos são-paulinos, esse modelo de negócio é o ideal, pois não atrapalha os planos de um atleta profissional em busca de espaço e novos ares e ainda pode render a formação de uma promessa. Por isso, se selado o acordo nesses moldes, o Tricolor Paulista já terá valor de compra fixado pelos garotos, bem como o Grêmio com Maicon.

Com Júnior Chávare na gestão de Cotia, o São Paulo já contratou o zagueiro Lyanco, ex-Botafogo, e o goleiro Carlinhos, ex-Portuguesa, além de Shayron. O técnico André Jardine e o coordenador técnico Diego Cabrera, que trabalharam com Chávare no Grêmio, também foram contratados pelos paulistas.