icons.title signature.placeholder Felipe Domingues e Fábio Aleixo
19/06/2014
08:00

Após uma fraca atuação no Pré-Mundial, a Seleção Brasileira Masculina de Basquete se viu fora do Campeonato Mundial pela primeira vez em sua história. Ainda assim, a FIBA (Federação Internacional de Basquete) convidou o Brasil para a disputa. Para Magnano, um desafio a mais.

- As coisas são mais desafiadoras agora, porque nós temos que jogar de um jeito que mostre que eles (FIBA) não erraram em nos convidar. Eles sabem como o Brasil joga, o nosso potencial, agora temos que jogar desse jeito, para que eles tenham certeza da decisão deles - comentou Rubén Magnano, treinador da Seleção.

Pressionada por uma boa atuação, a Seleção irá completa ao Mundial, com suas quatro estrelas que atuam na NBA: Anderson Varejão, Nenê, Tiago Splitter e Leandrinho. O desafio, de acordo com Magnano, deve ser assimilado por todos.

- Eu ainda não falei isso com os jogadores, sobre a construção do desafio. Isso não se faz só com palavras, acredito muito na atitude da equipe e dos jogadores. Eles, por conta própria, já trabalham pelo início (de preparação). Pela atitude deles, eles aceitaram esse desafio - disse.

Bicampeã mundial, a Seleção Brasileira não vem de uma sequencia boa de resultados nas últimas disputas, o que liga um sinal de "alerta" a uma boa atuação da equipe, principalmente pela alta média de idade do elenco convocado (32 anos), que pode ter a última chance em competições de alto nível.

- Uma medalha, não posso prometer, mas vamos lutar por isso, sem dúvidas. Esse é um grande desafio para nós e para eles, tomar esse torneio como algo desafiador no pessoal, ter orgulho de conquistar algo bom pela Seleção. Temos que lutar ao máximo para consegui-la (medalha) - completou.