icons.title signature.placeholder Bruno Grossi e Marcio Porto
08/03/2014
07:02

Após cincos jogos de Jadson pelo Corinthians, o bom desempenho do meia deixou a impressão de que o rival se deu melhor que o São Paulo na troca recente entre os clubes. No entanto, amanhã, no Pacaembu, um jogador pode começar a mudar esse cenário. E não é Alexandre Pato. É Paulo Henrique Ganso.

O camisa 10 do Tricolor também será importante para saber quem levou vantagem na negociação. Primeiro que Muricy Ramalho só aceitou liberar o agora corintiano porque se considerou bem servido na posição. E, naturalmente, com Ganso em alta, o torcedor são-paulino não sentirá saudade de seu ex-camisa 10. É hora de aproveitar a chance, sobretudo porque os envolvidos na troca não estarão em campo.

Por contrato, Jadson e Pato só poderiam disputar o clássico mediante pagamento de multa. O Corinthians diz que é de R$ 1 milhão. O São Paulo, no entanto, não comenta o valor, mas diz que é superior. Fato é que eles não jogarão, algo que não aconteceria se dependesse da opinião do técnico Muricy Ramalho.

Ontem, em entrevista coletiva, o técnico comentou a situação e disse que gostaria de ter Pato no clássico. Isso só aconteceria se, além da multa, o regulamento fosse quebrado, pois o atacante já estourou o limite de três jogos no Campeonato Paulista atuando pelo Corinthians.

– Se liberasse os dois, seria legal. O futebol brasileiro está precisando de astro, sim. E, neste caso, não é só o os times que perdem, quem perde é o futebol – afirmou o técnico.

Mas, quem não tem Pato, caça com Ganso. E a mistura de aves no CT da Barra Funda até confundiu a cabeça do técnico. Tanto que ele trocou as bolas em outra parte de seu comentário sobre a possibilidade de seu camisa 11 jogar amanhã.

– O futebol perde. Se fosse por exemplo o Jadson jogar e o Ganso... Ah, quer dizer, o Pato. Tá complicado aqui agora (risos). Tem Pato, Ganso, pica-pau, pavão – brincou.

A confusão fica restringida aos nomes. Para o clássico, Muricy já tem mais ou menos definida a estratégia e espera manter o mesmo time que goleou o Osasco Audax por 4 a 0 na última quarta-feira, com Ganso no time titular. A exceção é Alvaro Pereira, que retornará à lateral esquerda após servir a seleção do Uruguai em amistoso.

Sendo assim, será a segunda partida consecutiva de Ganso como titular, após o “castigo” da reserva contra Santos e XV de Piracicaba. O meia ainda tem a confiança da comissão técnica. E, contra o maior rival, tem a chance de colocar o Tricolor em vantagem.