icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
28/11/2014
00:07

O Ginásio “Juquinha”, no litoral norte fluminense, recebeu uma partida memorável nesta quinta-feira (27/11). Em duelo eletrizante do início ao fim, o Macaé Basquete mostrou toda a força de seu torcedor, superou o Pinheiros/SKY pela primeira vez na história do NBB, pelo placar de 95 a 91, e chegou a sua segunda vitória consecutiva na sétima edição do maior campeonato do país.

Para sair de quadra com o emocionante e histórico êxito, o time do técnico Léo Costa contou com atuação decisiva de sua dupla de norte-americanos: o ala/armador Ian Young, autor de com expressivos 27 pontos, e do armador Jamaal Smith, fundamental principalmente nos momentos finais do confronto, com 15 pontos, sendo nove deles no último quarto, com direito a 6/6 nos lances livres – 100% de aproveitamento, além de oito assistências.

Outros destaques do segundo triunfo em sete duelos no NBB 7 (28,5% de aproveitamento) do Macaé, que com o resultado deixou a lanterna do campeonato, ficaram por conta do ala Eddy, que registrou 14 pontos e quatro rebotes, mesma pontuação do ala/pivô Fernando Mineiro, que ainda apanhou sete rebotes e distribuiu quatro assistências, além do pivô dominiquês Otis George, com dez pontos e seis sobras.

“O Pinheiros é uma grande equipe, está muito bem e tem jogadores experientes. Mas nós estamos crescendo e buscando o entrosamento. Sabíamos que ao longo da competição iríamos encontrar o nosso melhor basquete. Temos muita coisa para corrigir, mas estou satisfeitíssimo com as duas vitórias. Parabenizo os jogadores, que cumpriram o que estamos pedindo. Tiramos um pouco daquele peso das derrotas, agora embalamos duas vitórias para seguir em frente na competição”, disse Léo.

Pelo lado do Pinheiros, que conheceu sua terceira derrota em seis duelos (50% de aproveitamento) e perdeu a chance de entrar no G-4, o destaque ficou por conta do armador Paulinho Boracini, que totalizou 27 pontos, cinco rebotes e três assistências. Quem também apareceu bem no time paulista foram o ala Ted Simões e o ala/armador norte-americano Jason Smith, autores de 14 e 13 pontos, respectivamente.

Depois de duas vitórias consecutivas como mandante, o Macaé tentará manter o embalo no NBB 7 enfrentando o São José/Unimed, fora de casa, no dia 10 de dezembro (quarta-feira), às 19h30 (de Brasília). Já o Pinheiros terá como próximo adversário o Winner/Limeira, também como visitante, no dia 07 de dezembro (domingo), às 18 horas (de Brasília).

O jogo

Literalmente com a mão na forma, o Macaé começou a partida com uma verdadeira chuva de bola de 3 pontos. Com 100% de aproveitamento nos seis tiros longos que tentou – dois com Ian Young, dois de Fernando Mineiro e dois de Eddy – a equipe da casa abriu 12 pontos de vantagem nos cinco primeiros minutos de jogo (19 a 7). Ainda mantendo a superioridade e o bom aproveitamento nas finalizações, os comandados do técnico Léo Costa venceram a etapa inicial 29 a 19.

O Pinheiros voltou melhor para o segundo quarto e, com uma sequência de 6 a 0, reduziu o prejuízo no placar para apenas quatro pontos (29 a 25). Poucos minutos depois, os macaenses foram se distanciando novamente e recuperando a boa vantagem em mãos (42 a 33). Mas quem pensa que o Macaé iria para os vestiários tranquilo se engana totalmente, pois o clube de São Paulo aprontou uma correria nos minutos finais e teria cortado a diferença para apenas dois pontos (46 a 44), não fosse a bola de 3 pontos de Ian Young, que deixou o placar em 49 a 44 e ainda foi para o intervalo com 18 pontos em 21 tentados (85,7% de aproveitamento).

O duelo seguiu bastante acirrado na volta dos vestiários. O Macaé conseguiu estender sua diferença para a casa dos sete pontos e mantê-la durante boa parte do terceiro período. No entanto, nos quatro minutos finais da etapa, o Pinheiros tornou a imprimir um ritmo forte em sua na reta final de quarto e, com mão quente do ala Ted Simões, chegou a virar o jogo no último minuto (72 a 71), mas uma bandeja do jovem armador Pedrinho Rava levou os donos da casa para a etapa final em vantagem, por 73 a 72.

Porém, nos dez minutos finais, entrou em cena o armador pinheirense Paulinho Boracini, que anotou os nove primeiros pontos do clube paulista na quarta parcial e foi responsável pela sequência de 9 a 3 emplacada pelo Pinheiros, que não só virou o jogo como abriu cinco pontos de vantagem, o que forçou o técnico macaense Léo Costa a pedir um tempo técnico (81 a 76).

Os macaenses até esboçaram uma reação imediata após a parada, com bola de 2 pontos do pivô Atílio, mas Paulinho voltou a aparecer e, com mais uma bola de 3 pontos, sua sexta em sete tentativas, e mais um lance livre de Felipe Ribeiro (85 a 78), o Pinheiros abriu sete pontos com pouco menos de cinco minutos para o fim do duelo. É, mas o confronto não estava acabado.

Em pouco mais de três minutos, os comandados do técnico Léo Costa fizeram uma sequência de 9 a 0 e tornaram a ficar na frente, para delírio da torcida presente no Ginásio Juquinha (89 a 85), restando pouco mais de um minuto para o fim. Mas os paulistas não jogaram a toalha e tornaram a ficar na frente, após bola de 3 pontos de Ted Simões e dois lances livres de Felipe Ribeiro na sequência (90 a 89), tudo isso faltando 30 segundos para o fim.

No ataque seguinte, o armador macaense Jamaal Smith sofreu uma falta e foi para a linha dos lances livres, onde foi perfeito e colocou o Macaé na frente novamente (91 a 90). Quando teve a bola nas mãos e a chance de ficar na frente novamente, o Pinheiros desperdiçou a posse de bola e perdeu a oportunidade de passar à frente.

Os donos da casa sofreram nova falta rápida, de novo com Jamaal, com sete segundos para o fim. Perfeito de novo, o camisa 11 deixou o esquadrão do técnico Léo Costa com três tentos de frente e com a mão na vitória (93 a 90). Com apenas três segundos no cronômetro, o armador pinheirense Paulinho Boracini sofreu uma falta e também teve de chutar dois tiros livres. Converteu apenas um (93 a 91).

Em seguida, o Macaé novamente foi para a linha dos lances livres, desta vez com Márcio Dornelles, restando apenas um segundo para o fim do jogo. Experiente, o camisa 15 macaense converteu as duas tentativas e deu números finais a excelente e imponente vitória de sua equipe, pelo placar de 95 a 91.