icons.title signature.placeholder Daniela Caravaggi e Fellipe Lucena
11/12/2013
00:15

A Portuguesa não descarta ter cometido um erro ao utilizar o meia Héverton, supostamente suspenso pelo STJD, na partida do último domingo, contra o Grêmio, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. No entanto, vai solicitar na CBF a gravação do julgamendo do jogador, realizado na sexta-feira. Pela irregularidade, o clube corre risco de perder quatro pontos, o que o rebaixaria e salvaria o Fluminense da queda para Série B.

De acordo com o vice-presidente da Lusa, Roberto dos Santos, o advogado que representou a equipe no julgamento, Oswaldo Sestário, informou que a punição foi de apenas uma partida, que já havia sido cumprida. A notificação de que foram duas partidas de gancho chegou com atraso, apenas nesta terça.

- Temos um advogado no Rio há anos. O Sestário é o nosso representante. Na segunda-feira, o Gilberto foi julgado, pegou dois jogos de suspensão e não jogou contra o Grêmio. O julgamento do Héverton foi sexta-feira. O Sestário passou para o nosso representante jurídico daqui de São Paulo (Valdir), que o Héverton havia recebido apenas um jogo de punição. Hoje (terça), nossa secretária recebeu um comunicado oficial da CBF dizendo que foram dois também. Vamos conferir se ele passou a informação errada. Vamos pegar o primeiro voo amanhã (quarta) e vamos à CBF solicitar a fita do julgamento - disse Roberto dos Santos, ao LANCE!Net.

O STJD ficará responsável por julgar o caso. Pelo regulamento, a Lusa perderia três pontos pela infração e mais a pontuação obtida no jogo (um ponto). O Código Brasileiro de Justiça Desportiva diz que a presença de um representante do clube no julgamento elimina a necessidade de notificação por escrito. Se o erro foi mesmo cometido pela Portuguesa, a punição deve acontecer. Se ficar comprovado que o erro foi do STJD, o clube seguirá na Primeira Divisão.

O L!Net tentou contato com Oswaldo Sestário, que presta serviços jurídicos a vários clubes, incluindo a Lusa, mas não teve sucesso.