icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
09/11/2013
08:00

Dia 7 de novembro de 2012. Luis Fabiano marca um golaço na vitória do São Paulo por 5 a 0 sobre a Universidad do Chile, pela Sul-Americana, e deixa o Pacaembu ovacionado pela torcida. Um belo presente, afinal, no dia seguinte, o atacante comemorou 32 anos.

Dia 7 de novembro de 2013. Luis Fabiano retorna da Colômbia, onde teve atuação muito ruim no empate em 0 a 0 contra o Atlético Nacional, que garantiu o time nas semifinais da Sul-Americana. Mais: reconhece que está mal fisicamente e não pode contribuir com o time como espera. Não era, desta vez, o presente que Luis esperava.

Fabuloso completou 33 anos nesta sexta-feira e a diferença dos momentos, descrita acima, simboliza o quanto a fase do camisa 9 é ruim. Ele não joga bem, tem sido criticado por boa parte da torcida e já recebeu um recado até do técnico Muricy Ramalho. Mas sempre há um alento...

Pela astrologia, Fabuloso foi atingido por um inferno astral, que deve terminar com o soprar das velinhas. Fabuloso deve ser titular novamente neste domingo, contra o Atlético-PR, já que o técnico Muricy Ramalho não deve poupar ninguém. Uma ótima oportunidade para espantar de vez a zica, que começou um mês antes de seu aniversário.

No dia 5 de setembro, tudo corria bem para o camisa 9. Ele marcou no triunfo de 3 a 2 sobre o Vitória, no Morumbi, mas deixou o confronto sentindo dores na coxa esquerda. Era uma contratura.

Fabuloso então passou quase um mês parado, período em que viveu o tal inferno astral. Viu, sem poder fazer nada, a equipe deslanchar de vez nas duas competições que disputa, os companheiros ganharem moral... Na quarta-feira, no último jogo antes do aniversário, foi substituído aos dez minutos do segundo tempo e recebeu um cartão amarelo sentado no banco.

Normalmente, os aniversariantes sofrem com as brincadeiras dos companheiros, são vítimas de ovadas, farinha e o que mais for possível. Mas com o atacante, porém, a celebração no CT desta vez foi discreta. Fabuloso apenas recebeu os cumprimentos dos colegas. Não há o que comemorar.

O inferno astral do Fabuloso

Lesão
Atacante ficou seis jogos fora por conta de uma contratura muscular na coxa esquerda. Machucou contra o Vitória, dia 5 de setembro, e retornou no último dia 30, contra o Atlético Nacional, pela Sul-Americana.

Ascensão do ‘rival’
Enquanto Luis Fabiano ficou parado, Aloísio foi só alegria. O Boi Bandido, substituto imediato do camisa 9, deitou e rolou no período. Marcou seis gols e igualou Luis Fabiano na artilharia do time no ano, com 21 gols.

Time encaixado
E não foi só Aloísio quem cresceu. O time viveu uma verdadeira revolução, acertando a maneira de jogar. São dez jogos sem derrotas, dos quais Fabuloso participou apenas de dois.