icons.title signature.placeholder Marcio Porto
26/11/2013
10:40

Passado mais de um ano da polêmica saída de Ganso do Santos para o São Paulo, um dos personagens centrais da negociação garante não guardar mágoas do jogador. Luis Alvaro Ribeiro, presidente licenciado do Santos, não gostou da maneira que o meia se comportou na época, mas hoje só torce para que ele dê lucro ao seu Peixe. Se ele for vendido pelo Tricolor até dezembro de 2014, o Alvinegro fica com 5% da transação.

- Eu gosto do Ganso. Não guardo mágoa, nada, gosto do menino. E torço para ele ser vendido, assim o Santos fica com uma parte - afirmou Luis Alvaro, em contato com o LANCE!Net, durante festa promovida pela CBF em São Paulo.

Luis Alvaro falou com um sorriso no rosto, disfarçando sua saúde debilitada, que já apresenta melhora após um quadro muito complicado que o afastou da presidência. Mas nos últimos dias de Ganso no Santos foi impossível ver um sorriso do dirigente para o jogador.

No auge da crise, com o meia já disposto a defender o rival e Luis Alvaro tendo de negociar a saída com a DIS, empresa que virou sua maior inimiga no comando do Santos, os dois protagonizaram um episódio constrangedor. Em uma reunião no CT Rei Pelé, Ganso se recusou a apertar a mão do presidente, que ficou magoado e envergonhado com a situação.

Poucos dias depois, bateu o martelo com a venda pelo valor da multa rescisória, R$ 23,9 milhões. Foi um alívio para o presidente, que depois fez uma profecia que agora parece não se concretizar com a boa fase de Ganso. Em uma viagem para a Suiça, Luis Alvaro afirmou que o jogador tinha um problema crônico no joelho e por isso não voltaria a ser o jogador que brilhou no Peixe.

Recentemente, Ganso falou sobre o assunto, não quis se estender na polêmica, mas não deixou de mandar um recado para Luis Alvaro.

- Tem gente que fala o que quer - disse.

E assim, segue a vida, cada um para o seu lado.

SEM CONTATO COM NEYMAR

O sentimento de Luis Alvaro para com Ganso contrastava com o carinho que o dirigente tinha por Neymar. O presidente considerava o craque um filho e ficaram repetitivas suas frases de efeito exaltando o atual jogador do Barcelona (ESP).

Atualmente, no entanto, não há contrato entre as partes. O presidente disse que não falou mais com a Joia.

- A última vez que falei com ele foi no amistoso contra o Barcelona, o 8 a 0, quando estive lá. Não falei mais, mas sei que ele está feliz - afirmou Luis Alvaro.