icons.title signature.placeholder Serviço de Atendimento ao Torcedor (SAT)
icons.title signature.placeholder Serviço de Atendimento ao Torcedor (SAT)
31/07/2013
18:12

A falha de comunicação em relação à adoção ou não de lugares marcados no Mineirão no clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG, no último domingo, causou transtornos aos torcedores presentes. Por intermédio do Serviço de Atendimento ao Torcedor (SAT) do LANCE!Net, torcedores relataram pequenas confusões nas arquibancadas provocadas pela reivindicação de assentos.

O torcedor cruzeirense Matheus Carvalho contou que, ao obedecer a orientação dada por funcionários do Minas Arenas de que não seria preciso respeitar a numeração de lugar, chegou a ser agredido durante o jogo por outro torcedor.

- Quando fui comprar ingresso avisaram que não teria lugar marcado. Informação que foi confirmada dentro do estádio. Após começar o jogo, no entanto, chegaram três homens falando que o lugar em que estava com minha família pertencia a ele. O grupo arrumou confusão e nos empurrou, inclusive as crianças, para longe do assento. Pedimos ajuda para os organizadores, mas nada fizeram - reclamou.


Em nota direcionada ao LANCE!Net, a Minas Arena esclareceu que o Mineirão adotará durante toda a temporada o sistema de lugar marcado. Para os administradores do estádio, a falta de informação dos torcedores sobre a necessidade de se respeitar as numerações impressas nos ingressos teria sido provocada pelos clubes, ao comercializarem os bilhetes.

- A Minas Arena faz uma constante campanha no telão do Mineirão para que o torcedor respeite o local marcado em seu ingresso. O Mineirão conta com uma equipe bem treinada para orientar os torcedores e auxiliá-los, inclusive, que ocupem os lugares marcados. Em casos extremos, o serviço de atendimento ao torcedor e os seguranças privados estão orientados a acionar a Polícia Militar. Sabemos que essa cultura do brasileiro ainda está em processo de amadurecimento mas acreditamos que, com o passar do tempo, isso possa mudar no país. Os novos estádios e as grandes competições disputadas no Brasil são importantes para que o torcedor se acostume com a ideia do lugar marcado. A Minas Arena repassará essa informação ao clube mandante, uma vez que a comercialização de bilhetes é responsabilidade das agremiações.

E MAIS:
> Shakhtar não agrada Bernard, que diz não ter pressa para ir embora do Galo
> Alexandre Kalil quer 'dia preto e branco' na festa popular do Galo
> Em bom momento no Cruzeiro, Éverton Ribeiro sonha com Seleção

Procurado pela reportagem, o Cruzeiro afirmou o seu compromisso em apoiar a implantação de lugares marcados no Mineirão e fornecer todas as informações necessárias aos seus torcedores. O clube, no entanto, afirmou que a tarefa de dirigir o público aos seus lugares e evitar atritos dentro do estádio é de inteira responsabilidade do consórcio, que gerencia os serviços de segurança nos dias de jogo.

- O Cruzeiro não é responsável pela segurança e pelo serviço de "posso ajudar". O Clube espera que o torcedor respeite o lugar que está impresso no ingresso e que a segurança garanta ao torcedor esse direito que ele tem - disse o Diretor de Marketing do Cruzeiro, Marcone Barbosa, em nota.

A falha de comunicação em relação à adoção ou não de lugares marcados no Mineirão no clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG, no último domingo, causou transtornos aos torcedores presentes. Por intermédio do Serviço de Atendimento ao Torcedor (SAT) do LANCE!Net, torcedores relataram pequenas confusões nas arquibancadas provocadas pela reivindicação de assentos.

O torcedor cruzeirense Matheus Carvalho contou que, ao obedecer a orientação dada por funcionários do Minas Arenas de que não seria preciso respeitar a numeração de lugar, chegou a ser agredido durante o jogo por outro torcedor.

- Quando fui comprar ingresso avisaram que não teria lugar marcado. Informação que foi confirmada dentro do estádio. Após começar o jogo, no entanto, chegaram três homens falando que o lugar em que estava com minha família pertencia a ele. O grupo arrumou confusão e nos empurrou, inclusive as crianças, para longe do assento. Pedimos ajuda para os organizadores, mas nada fizeram - reclamou.


Em nota direcionada ao LANCE!Net, a Minas Arena esclareceu que o Mineirão adotará durante toda a temporada o sistema de lugar marcado. Para os administradores do estádio, a falta de informação dos torcedores sobre a necessidade de se respeitar as numerações impressas nos ingressos teria sido provocada pelos clubes, ao comercializarem os bilhetes.

- A Minas Arena faz uma constante campanha no telão do Mineirão para que o torcedor respeite o local marcado em seu ingresso. O Mineirão conta com uma equipe bem treinada para orientar os torcedores e auxiliá-los, inclusive, que ocupem os lugares marcados. Em casos extremos, o serviço de atendimento ao torcedor e os seguranças privados estão orientados a acionar a Polícia Militar. Sabemos que essa cultura do brasileiro ainda está em processo de amadurecimento mas acreditamos que, com o passar do tempo, isso possa mudar no país. Os novos estádios e as grandes competições disputadas no Brasil são importantes para que o torcedor se acostume com a ideia do lugar marcado. A Minas Arena repassará essa informação ao clube mandante, uma vez que a comercialização de bilhetes é responsabilidade das agremiações.

E MAIS:
> Shakhtar não agrada Bernard, que diz não ter pressa para ir embora do Galo
> Alexandre Kalil quer 'dia preto e branco' na festa popular do Galo
> Em bom momento no Cruzeiro, Éverton Ribeiro sonha com Seleção

Procurado pela reportagem, o Cruzeiro afirmou o seu compromisso em apoiar a implantação de lugares marcados no Mineirão e fornecer todas as informações necessárias aos seus torcedores. O clube, no entanto, afirmou que a tarefa de dirigir o público aos seus lugares e evitar atritos dentro do estádio é de inteira responsabilidade do consórcio, que gerencia os serviços de segurança nos dias de jogo.

- O Cruzeiro não é responsável pela segurança e pelo serviço de "posso ajudar". O Clube espera que o torcedor respeite o lugar que está impresso no ingresso e que a segurança garanta ao torcedor esse direito que ele tem - disse o Diretor de Marketing do Cruzeiro, Marcone Barbosa, em nota.