icons.title signature.placeholder João Matheus Ferreira
17/07/2014
08:10

Ousadia e alegria foram as palavras usadas por Lucas Crispim para definir a estreia dele como jogador profissional, na goleada do Vasco sobre o Santa Cruz, na terça passada. E, de fato, o termo "criado" pelo amigo e ex-cunhado Neymar encaixou bem com a atuação em Cuiabá. Com personalidade, participou de dois gols e foi um dos destaques do Cruz-Maltino na partida.

- Esse é o meu futebol. Estou muito acostumado com ousadia e alegria, meu amigo Neymar e ídolo sempre fala isso. Procuro levar isso na cabeça para sempre na minha vida, por isso meu futebol é assim - disse, logo após o apito final.

A boa atuação rendeu elogios do técnico Adilson Batista. O comandante, aliás, já vinha elogiando Crispim desde o período de treinamentos no intervalo da Série B para a Copa.

- É um menino que tem potencial e vem nos agradando nos treinamentos. Joga como um meia clássico, mas que também cai pelos lados. Entrou bem e a atuação é mérito total dele, que se dedica bastante nos treinos - comentou Adilson.

Mas esse estilo ousado vem desde que era garoto. Em entrevista ao LANCE!Net, o pai do jogador, Kennedy Crispim, lembrou de uma história pra lá de curiosa, quando "Lukinhas", como é chamado pelos familiares, ainda jogava futsal em Brasília, onde nasceu e morou até ser descoberto pelo Santos, em 2006.

- Ele batia tão bem na bola que fizeram um regulamento só pra ele, quando tinha menos de 10 anos. Ele só poderia bater faltas atrás do meio de campo, porque sabiam que se fosse antes ele faria o gol - disse.

Crispim chegou ao Vasco envolvido no empréstimo de Douglas, pois pertencem ao grupo de empresários. Mas, se continuar com este ritmo, pode muito bem conquistar espaço.

DRAMA NO INÍCIO DO ANO

Apesar de estar vivendo uma fase boa, o ano de 2014 não começou nada bem para Lucas Crispim. Poucos dias antes do início da Copa São Paulo de Futebol Júnior, o meia-atacante sofreu um estiramento na coxa esquerda, quando finalizava o tratamento de uma entorse no tornozelo direito e se preparava para disputar o principal torneio de base do país, justamente no último ano dele na categoria sub-20.

A lesão deixou jogador e familiares muito abatidos, pois havia enorme expectativa pelo desempenho dele no torneio, já que era um dos principais nomes do time.

– Foi uma pena. Era o camisa 8 do time, titular, estava jogando muito bem. Mas torceu o tornozelo esquerdo na Taça BH, depois se recuperou e, quando voltou aos treinamentos, teve um estiramento de grau dois (moderado) na coxa direita. Quando vimos que não daria para jogar, ficamos tristes, porque era a Copinha dele, por ser o último ano como júnior – disse o pai dele, Kennedy Crispim.

Quis o destino, porém, que, mesmo sem Crispim, o Santos conquistasse o título da competição, vencendo o rival Corinthians na decisão. Na comemoração do título, todos os jogadores fizeram questão de exibir a camisa 8 e homenagear o companheiro, que acabou ficando fora de todas as partidas do campeonato.

NEYMAR: ÍDOLO E CONSELHEIRO

Durante a adolescência, Lucas Crispim conviveu quase diariamente com Neymar, já que namorou por quatro anos e meio com Rafaella, irmã do craque do Barcelona. Mas a amizade entre os dois não ficou restrita ao título de “cunhados”. Afinal, eles mantêm o contato e Crispim o tem como ídolo e conselheiro.

– Se ele gosta de jogar bola e nunca se envolveu com problema ou bebida, deve muito ao Neymar. É o ídolo dele. Até por conviver muito com ele, quando namorou a Rafaella, eles se identificaram. O Neymar sempre dá bons conselhos a ele – disse o pai de Crispim, Kennedy.

Um destes conselhos foi quando, aos 18 anos, Crispim recebeu uma proposta do Genoa, da Itália. Ele estava inclinado a aceitar, mas Neymar indicou que ele deveria ficar no Santos e sair do Brasil apenas depois que tivesse se consolidado no profissional. O conselho foi prontamente aceito.

CARREIRA

Descoberto
Em 2006, quando jogava no CFZ-DF, Lucas Crispim  disputou um torneio no interior do Paraná e foi descoberto por olheiros de Santos e Corinthians, mas optou pelo clube do litoral paulista.

Condição
Os pais dele, Kennedy e Enimárcia Crispim, só aceitariam o contrato do Santos se eles pudessem ficar com o garoto na cidade. Assim, pelo jogador, a diretoria alugou uma casa para a família.

Lesão e empréstimo
Desde que chegou, sempre foi considerado uma promessa. Neste ano, sofreu uma lesão e ficou fora da Copinha, por isso acabou sendo emprestado para o Vasco meses depois.