icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
23/12/2013
14:12

Adilson Batista chegou ao Vasco faltando sete rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro. O técnico não conseguiu evitar o rebaixamento do clube, mas seu trabalhou foi muito elogiado e agradou a direção, que renovou o seu contrato. E não foi só a diretoria que gostou do treinador. O zagueiro Luan também gostou da manutenção de Adilson no cargo:

- O Vasco acertou na permanência do Adilson, mesmo com o rebaixamento fez um grande trabalho, está de parabéns. Ele procura passar dicas com base no que ele viveu, uma pessoa vitoriosa na vida, e ele como treinador cobra bastante, joga junto com o time e tem um bom esquema tático na cabeça. É um grande treinador, não preciso falar muito, basta pegar e ver o currículo dele, os títulos dele, é um grande treinador e uma grande pessoa - disse o defensor à Super Rádio Brasil.

Luan teve algumas oportunidades no time cruz-maltino após a saída de Dedé, mas uma lesão na panturrilha direita o afastou da equipe. No final da temporada, recuperado e com a chegada de Adilson, o zagueiro voltou a ter oportunidades no time titular. Ainda assim, o jogador acredita que teve um ano complicado.

- Foi um ano bastante difícil, muito desgastante, comecei a jogar o Campeonato Brasileiro com a saída do Dedé, tive oportunidade com o Paulo (Autuori), mas acabei me machucando e fiquei um tempo fora. Isso me motivou muito a tentar voltar a jogar e mostrar meu futebol. Tive oportunidade contra o Goiás, depois outra contra o Corinthians e o Adilson optou por eu deixar a equipe. Minha motivação é sempre grande pelo fato de eu representar um clube de grande história e uma camisa de peso, que é o Vasco. Não pode haver jogador desmotivado, pois pelo fato de você jogar no Vasco tem que estar motivado. Espero ter um ano excelente, que eu possa crescer e me firmar e ser melhor do que fui nos anos que se passaram - disse Luan, que ainda acrescentou que terminar a temporada jogando não o garante entre os titulares na próxima temporada:

- Condição de titular não me dá, mas me dá mais ânimo para o trabalho. Todos nós teremos pré-temporada para nos igualarmos e quem o treinador escolher para jogar, será a melhor opção.