icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/02/2015
09:00

Vagner Love não esconde a admiração por Tite, que foi determinante para sua chegada ao Corinthians após a saída do Shandong Luneng (CHN). Quando negociava com o Timão, em contato com o gerente Edu Gaspar, o atacante conversou por telefone com o treinador, que fez questão de falar que gostaria que ele aceitasse o desafio e que seria importante para o elenco. 

- Antes mesmo de eu chegar, já tinha visto entrevistas do Tite e sobre o Tite, muitos jogadores o elogiavam... Vou continuar elogiando. Ele é um treinador diferenciado, sempre busca o melhor para o time, para o grupo. O que ele faz é muito bom para o Corinthians e muito bom para os jogadores. O que ele pede é o certo, estou muito feliz de trabalhar com ele. É um excelente treinador, sempre vai querer ser campeão, e quero estar do lado dele para buscar junto esses títulos - disse o camisa 29 do Timão.

Em suas entrevistas, Tite também mostrou que se surpreendeu positivamente com o ex-atleta de Palmeiras e Flamengo. Segundo o comandante, o jogador mostrou-se disposto a ser mais um e tem mostrado grande vontade nos treinamentos. Na conversa antes do acerto, a troca de confiança foi determinante.

Love não esconde a satisfação na equipe de Tite, mesmo que seja na condição de reserva. Depois de começar a partida contra o Linense, juntamente dos titulares, o atacante começará mais uma vez, agora na "equipe alternativa", neste domingo, em duelo contra o Mogi Mirim, pelo Paulistão. Ele chegou a ficar no banco no duelo diante do São Paulo, pela Libertadores, mas nem entrou. O fato de o treinador priorizar jogadores que já estavam no grupo, como Danilo, Malcom e Mendoza, na realidade aumentam a admiração pelo comandante.

- Temos que pensar primeiro no domingo, mesmo sabendo da importância do jogo de quarta pela Libertadores. Temos de pensar passo a passo. Quem jogar domingo, tem de se doar ao máximo e, só depois dali, pensar na quarta-feira. Sabemos que será um jogo importantíssimo - disse o corintiano.

O novo reforço do Timão mostra satisfação por fazer parte do grupo e conseguir contribuir nas partidas que os "reservas" são solicitados.

- Tem de ter grupo bom, e o Corinthians tem isso. Não é revezamento que ocorre, é necessidade pelo calendário apertado. Se tem elenco bom, se pode fazer rodízio, vai ser bom para todo mundo. Está indo bem porque o time está dando a resposta que o treinador pede - afirmou.