icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
14/11/2013
10:41

Muito se fala na grande quantidade de meias na seleção espanhola, como Xavi, Iniesta, Fàbregas, Mata, Cazorla, Navas, Koke, David Silva... Mas nas últimas semanas, a briga no ataque que tem sido destaque na Fúria. Principalmente por causa da chegada de Diego Costa, frustrada com o corte, mas também pelas boas fases de Negredo, Llorente, e o prestígio de outros como Pedro, Villa, Soldado e Torres. Para o jogador da Juventus, essa disputa ainda vai longe.

- Está complicado vir à seleção, em todas as posições, e principalmente no ataque. Vai ser uma briga muito dura. Faltam seis ou sete meses para a Copa do Mundo e cada um vai dar o máximo. Tomara que cada um alcance o seu objetivo. Estar na seleção obriga a dar o máximo - disse Llorente em entrevista coletiva, que lembrou que ter marcado contra o Real Madrid pode ter ajudado para ser lembrado por Vicente del Bosque:

- Os atacantes vivem de gols, e é provável que ter marcado nos últimos jogos tenha me trazido para cá outra vez.

Por fim, o ex-jogador do Athletic Bilbao, que chegou à Juventus no início desta temporada, falou sobre Diego Costa. Llorente foi convocado por Del Bosque justamente no lugar do atacante do Atlético de Madrid, que se naturalizou espanhol, mas foi cortado.

- Não vivi isso de perto. É um grandíssimo jogador, que está na Espanha há muitos anos e decidiu jogar com a seleção. Acho que pode somar muito e estou certo que o treinador está contente em contar com ele - concluiu o basco.