icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
24/06/2014
12:13

A saída de bola é uma das maiores preocupações de Luiz Felipe Scolari desde o início da preparação da Seleção Brasileira, em 26 de maio. O problema se repetiu na primeira fase da Copa do Mundo e o excesso de "ligação direta" entre defesa e ataque chamou a atenção na segunda, contra Camarões. Mas desta vez não foi erro, e sim estratégia. O Brasil deu 83 passes longos, mais da metade do que deu em todo o torneio: 154.

Os jogadores justificaram a maneira de jogar: tática adotada em função do adversário africano. "Plano de jogo", repetiu várias vezes o zagueiro David Luiz na saída do Mané Garrincha. O volante Paulinho explicou, citando o posicionamento avançado dos defensores adversários. David Luiz, Thiago Silva e Marcelo abusaram das tentativas longas de furar a defesa camaronesa, que jogou mais avançada com Nkolou e Matip.

- Talvez, aconteceu isso pela forma com que Camarões joga, com linha de quatro defensiva alta (avançada). Aconteceu muitas vezes esses lances, e o Neymar saia sempre na frente, com oportunidades. Jogamos de acordo com o que Camarões apresentou - comentou o atleta, que pode perder a condição de titular.

No sábado, contra o Chile, a estratégia pode ser repetida. Gary Medel é o zagueiro mais recuado, enquanto que Jara, pela esquerda da zaga, joga bem mais adiantado. Os laterais Mena e Isla, adiantados, dão espaços.

Um dos líderes do time, David Luiz acredita que a primeira fase da Copa serviu para o Brasil passar por provas visando a sequência do Mundial.

- O time está sabendo ter consciência para entender o jogo. Um time que oscila muito não vai longe. Esse time tem muita maturidade. Vocês queriam ver a reação quando saísse atrás, reagimos bem contra a Croácia. Contra o México, soubemos sofrer. Dessa vez, com um jogo perfeito, tomamos um gol e não baixamos a cabeça. Estamos sabendo ter inteligência para entender o que o jogo apresenta - comentou o zagueiro.

Com sete pontos no Grupo A, com vitória sobre Croácia (3 a 1) e Camarões (4 a 1) e um empate sem gols com o México, a Seleção passou em primeiro lugar e agora pega o segundo do Grupo B, Chile, no próximo sábado.