icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
12/02/2015
17:33

Ron Dennis, líder da McLaren, afirmou, nesta quinta-feira, que preferiria não ter um patrocínio master a ter que vender o espaço de seu carro, na Fórmula 1, por um preço "abaixo do que vale". A equipe está sem patrocínio desde o fim do contrato com a Vodafone, em 2013.

Dennis acredita que os custos de competição estão tão altos que a obtenção de patrocínios não é mais possível, a não ser que os preços de venda dos espaços caiam drasticamente, tornando-se excessivamente baratos.

- Patrocínio master não existe mais como conceito. Se você olhar o que um patrocínio representa hoje num time, é cerca de 40, 50% do orçamento da equipe. Se a escuderia apresentar um carro competitivo, com chances de título, o tipo de patrocínio será alto, de muito dinheiro. É nesse que estamos interessados.

Dennis, no entanto, mostrou-se favorável ao tipo de patrocínio "fragmentado".

- O que se pode fazer é dividir o espaço no carro por vários patrocínios, juntando várias empresas que têm filosofia parecida no seu carro.

A busca por recursos não está encerrada na McLaren, garantiu o chefe, que ainda fez uma curiosa comparação da equipe com o Manchester United.

- Não desistimos da ideia de atrair grandes quantidades de dinheiro para o carro, mas o que não queremos é colocar logotipos enormes no automóvel por preços baixos. Me sinto um pouco como o Manchester United, que passou por uma fase horrorosa, com jogos muito ruins na liga. Eu ainda penso que se trata do United. Ainda penso que eles podem chegar e falar: "querem nos patrocinar? Somos o Manchester United!"