icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
08/04/2014
10:19

Defender o Grêmio no jogo de ida das oitavas de final da Copa Libertadores ou treinar com a Seleção Brasileira Sub-21? Essa é a duvida que norteia os pensamentos do lateral-esquerdo Wendell. Dúvida que será desfeita pela diretoria tricolor, assim como garantiu o jogador. Ele acatará a decisão que for tomada.

- Todos sabem que o nosso objetivo (do jogador) é trabalhar fortemente no clube para conseguir a convocação para a Seleção. Estou preparado para a nova oportunidade que vou ter agora, e espero dar o máximo no Grêmio. Deixo para a diretoria resolver disse Wendell, em entrevista coletiva, antes de completar:

- Se eles acharem que devo vestir a camisa da Seleção, eu vou vestir. Mas se tiver que ficar, vou dar o meu máximo para ajudar a equipe do Grêmio.

Wendell ainda garantiu que não ficará chateado caso o Grêmio solicite e consiga a sua desconvocação, apesar de esse ter sido o primeiro chamado para, em um primeiro momento, participar de treinos com a Seleção.

- Não, não (não ficará chateado). De acordo com o trabalho que venho fazendo no Grêmio, acho que podem aparecer outras oportunidades. Se for para ficar, vou ajudar no máximo que for preciso e se for para ir, vou ajudar a Seleção da melhor maneira possível. Espero que a diretoria (do Grêmio) junto com a CBF possa resolver - concluiu.

Além de Wendell, o Grêmio teve o lateral-direito Tinga, o apoiador Jean Deretti e o atacante Luan convocados. O último, grande destaque do Tricolor em 2014, foi desconvocado após ter fraturado dois ossos da mão direita na última quinta.