icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/07/2014
17:15

O técnico Guilhermo Barros Schelotto não mudou muito o time do Lanús para o segundo jogo da final da Recopa contra o Atlético-MG, na última quarta-feira, mas a postura do time argentino no Mineirão foi bastante diferente em relação à partida em La Fortaleza, nos arredores de Buenos Aires.

Além do gol já nos acréscimos do segundo tempo, o comportamento do time visitante em solo brasileiro fez com que parte da torcida do Galo temesse pelo pior na decisão. Tamanho desempenho em campo surpreendeu até o técnico Levir Culpi, que admitiu não ter esperado tanta dificuldades na decisão em casa.

- Não esperava tanta dificuldade. Sabia que seria difícil, porque nunca é fácil contra argentinos. Mas eles foram melhores que lá na Argentina - falou o treinador.

MAIS:
> Presidente ainda diz que não há pautas para novas contratações
> Em acordo com a diretoria, R10 será liberado para jogo festivo de Deco

Para o comandante, a vitória suada valoriza a competência dos jogadores atleticanos, que tiveram que superar a parte física e manter o psicológico controlado para chegar a vitória, com detalhes de sorte.

- Fiquei um pouco surpreso , lá, na Argentina, em uma atmosfera muito mais difícil, jogamos melhor que eles. Eles fizeram um gol aos 48 do segundo tempo e, depois, fizeram dois para nós na prorrogação, então, é uma situação difícil de analisar. Mas os jogos decisivos são de entrega física total, os times argentinos sempre são aguerridos e, por isso, sempre é bom ganhar deles, porque nunca é fácil. Então, eles valorizaram muito nossa conquista - finalizou Levir.