icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
05/12/2013
19:51

O técnico Pep Guardiola tem mais um problema para o Mundial de Clubes. O meia Robben sofreu uma séria lesão em um choque com o goleiro Hitz, do Augsburg, durante a vitória do Bayern de Munique por 2 a 0 pela Copa da Alemanha, na última quarta-feira. A pancada foi no joelho direito, e nesta quinta o Twitter oficial do Bayern já confirmava a gravidade da lesão.

– Notícias ruins: Arjen Robben está seriamente lesionado. A lesão está abaixo do osso. Ele vai ficar fora por seis semanas – indicou o clube através do microblog.

O prazo tira o jogador holandês da disputa do Mundial, que acontecerá entre 11 e 21 de dezembro. A estreia do Bayern será no dia 17, contra o vencedor do jogo entre Guangzhou (CHN) e Al Ahly (EGI).

Como a lista dos 23 inscritos foi enviada antes de o jogador se lesionar, Robben foi confirmado como integrante da delegação que viajará ao Marrocos.

– Claro que estou muito desapontado. Estava em ótima forma e ansioso pelos próximos jogos – disse Robben ao site oficial do clube.

Antes de Robben, o Bayern havia perdido o volante Schweinsteiger por lesão. Com lesão no tornozelo direito, sequer foi inscrito. Outros dois atletas da lista do Mundial de Clubes também preocupam. O lateral-direito e capitão Lahm se recupera de lesão na coxa direita, já o meia Ribéry, grande astro da equipe, está com uma fissura em uma das costelas.

COM A PALAVRA: Kai Schiller Repórter do “Abendblatt” (ALE)

A ausência de Robben é um problema, mas não tão grave. Pior seria se o Bayern tivesse perdido Ribéry. Pep Guardiola tem bons nomes e boas opções para substituí-lo. Basta dizer que o foco após o jogo não foi a ausência de Robben do Mundial, mas sim o fato de o goleiro do Augsburg não ter sido expulso. Isso não quer dizer que o Bayern está desprezando o Mundial. O clube o encara com seriedade. Há muito tempo que uma equipe alemã, seja clube ou seleção, não conquista um título mundial.

Como pode jogar sem o holandês

Guardiola tem a opção de jogar com um homem de referência na área: Mandzukic. O atacante acabaria sendo municiado por um
quarteto poderoso formado por Müller, Ribéry, Götze e Kroos.

Sem camisa 9

Desta forma, o Bayern não teria uma referência na área. Müller e Ribéry jogariam como atacantes, se movimentando bastante. Götze seria o homem de criação, com Javi Martínez e Kroos mais recuados.