icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/03/2014
09:48

No último dia 23 de março, o UFC desembarcou pela primeira vez em Natal (RN), no evento que também marcava a primeira luta de Léo Santos na organização desde a vitória na final da segunda edição do reality show The Ultimate Fighter Brasil. Escalado no card principal, o atleta teve um resultado inédito na carreira, quando, após três rounds, empatou com Norman Parke, em combate válido pelo peso leve (até 70kg).

No TUF, Léo Santos atuou nos meio-médios (até 77kg), mas para o debute desceu para os leves, sua categoria de origem. No entanto, há muito tempo sem lutar nesse peso, o atleta da Nova União sentiu o corte drástico que antecedeu ao combate. Ele revela ter lutado com 75kg, muito abaixo dos 80kg ao qual estava habituado em outros tempos, fator preponderante que ajudou na estratégia do adversário.

- Esse era o peso que eu lutava quando era atleta de jiu-jitsu, com 23 anos, e não consegui recuperar os 10kg de costume. Isso fez bastante diferença, senti o Parke bem mais forte, enquanto eu estava muito magro e seco. No primeiro round estava tranquilo, mas conforme foi passando o tempo me desgastei muito, não esperava que ele fosse ficar me segurando na grade, agarrando o tempo inteiro. Senti muito a diferença de peso e força, então não consegui me adaptar a essa estratégia diferente dele, nem a mudar a minha - contou.

A luta entre o brasileiro e Norman Parke tinha a expectativa de ser decidida no chão, já que ambos atletas têm o combate de solo como especialidade, mas o que se viu foi bem diferente. Ciente da superioridade de Léo em pé, o norte-irlandês mudou de estratégia e surpreendeu o campeão do TUF 2.

- Esperava que ele fosse trocar, mas quando viu que eu estava me dando bem na trocação, ele mudou a tática e eu não consegui mudar também, de fazer esgrima. Quando ele se viu mais forte, só queria me segurar mesmo, porque nem tentar derrubar ele tentou direito, só me amarrou ali e infelizmente não consegui sair - lamenta.

Léo arrisca chute alto em Norman Parke no UFC de natal (FOTO: Divulgação/UFC)

Após esperar nove meses para estrear no UFC, Léo Santos não quer aguardar tanto tempo para voltar a pisar no octógono e já tem em mente seu próximo objetivo.

- Agora, vou tirar só 15 dias de folga, a pedido do Dedé (Pederneiras, líder da Nova União) e gostaria de lutar no Brasil de novo. É sempre bom lutar em casa pelo público e torcida. Mas sou funcionário do UFC e onde me mandarem lutar, eu luto - garante.