icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/11/2013
08:07

Antes de chegar ao Flamengo, em 2005, Léo Moura passou por nove clubes, entre eles, os três rivais cariocas: Botafogo, Fluminense e Vasco, e não se firmou em nenhum, o que fez com que chegasse ao clube desacreditado. Agora, com a conquista da Copa do Brasil, seu sétimo título pelo clube, o lateral praticamente coroa a sua marcante passagem pela Gávea e tem muita história para contar.

- Com os títulos que eu conquistei aqui no Flamengo, de Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro, graças a Deus eu consegui ficar marcado na historia do clube - destacou Léo Moura.

E MAIS
> Após título, Felipe alfineta Mano Menezes: 'Teve gente que saiu antes'
> Pé quente, Chicão lembra: 'Falei que brigaria por título e riram de mim'
> Com renovações em pauta, diretoria garante Léo Moura e Elias para 2014
> Torcida do Flamengo comemora título da Copa do Brasil em Boston

No início da temporada, o Rubro-Negro teve resultados ruins no Campeonato Estadual e poucos cravavam o clube na final da Copa do Brasil. O jogador iniciou o ano com atuações fracas e muitos diziam que ele já deveria ter pendurado as chuteiras. Agora, clamam por sua permanência na equipe para o próximo ano.

Com o passar de seus oito anos no Flamengo, Léo Moura foi conquistando e se identificando cada vez mais com a torcida. A maior prova disso foi durante o segundo jogo das quartas de final da Copa do Brasil, contra o Botafogo, em outubro. O Rubro-Negro vencia por 3 a 0 e teve um pênalti marcado a seu favor. Aniversariante do dia, o lateral foi para a cobrança, marcou o gol e ouviu “Parabéns para você” sendo cantado por quase 70 mil pessoas no Maracanã.

Léo Moura já disputou 460 partidas pelo Rubro-Negro e é o décimo primeiro jogador que mais vestiu a camisa do clube. Agora, com enorme empatia da torcida e três títulos nacionais na bagagem, caso renove o seu contrato com o clube para a próxima temporada, espera conquistar o título da Libertadores do ano que vem para gravar de vez o seu nome na História no Flamengo.

Flamengo supera o Atlético-PR e leva a Copa do Brasil