icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
20/03/2014
10:03

Enquanto o Palmeiras briga pela melhor campanha do Paulista, Leandro tem sido "vítima" do bom ambiente no elenco. Seu novo corte de cabelo rendeu dois apelidos por parte dos jogadores: "cotonete" e "microfone". A brincadeira do grupo - o melhor com o qual ele diz ter trabalhado - não o incomoda.

- Pois é, eles estão enchendo o saco por causa do cabelo (risos). Mas eu não ligo, não. É normal, já cansei de escutar apelidos - falou.

Nessa quarta-feira, o jogador se preparava para sua entrevista coletiva e os companheiros gritavam "cotonete" - o camisa 38 ficou sem graça. Quando chegou ao clube, no início do ano passado, o atleta tinha um moicano que fazia seu estilo ser comparado ao de Neymar. Ele, agora, não sabe qual corte de cabelo utilizará - o antigo ou o "cotonete".

Os apelidos, porém, não são exclusivos para Leandro. Vinicius e França, por exemplo, já foram chamados de Bolívia e Gibi, respectivamente. Sobre os nomes que dá aos companheiros, o atacante se esquivou sobre seu maior alvo.

- Claro que eu invento, não posso deixar quieto (risos). Não posso falar (quem é o maior alvo), se não vou queimar o cara em rede nacional - completou.

Líder do Grupo D e um dos favoritos ao título paulista, o elenco palmeirense recebeu elogios de Leandro. Segundo ele, a amizade entre os jogadores tem feito a diferença dentro de campo.

- Já peguei grupo muito bom também no Grêmio, mas esse grupo sem dúvida é o melhor em que eu já trabalhei, apesar da pouca idade. Todos têm visto nossa amizade dentro e fora de campo, isso reflete. Você corre com mais vontade pelo seu companheiro, sempre querendo o bem de todos. Isso é bem importante - encerrou.

Kardec brinca com Leandro na Academia (Foto: Eduardo Viana/LANCE!Press)