icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/07/2014
20:44

A derrota para a Holanda fez com que a Seleção Brasileira se quer recebesse medalha. O quarto lugar vai ficar marcado como fiasco na segunda Copa realizada em casa, mas a derrota de 7 a 1 para a Alemanha ainda "assombra" os jogadores do elenco.

O lateral esquerdo Maxwell, que atuou no lugar de Marcelo, lembrou da catástrofe e falou que entrar em campo pensando na goleada sofrida na semifinal complicou a atuação.

- O jogo passado foi uma catástrofe e a gente tomou gols muito rápido e desequilibrou o time. E hoje entrar já com o pensamento na catástrofe e correndo atrás de um resultado contra um time organizado é difícil. Bola para frente - disse.

Maxwell ainda afirmou que agora cada um deve pensar no que fez e refletir, mas que também se pode tirar coisas boas dessa Copa.

- É momento de reflexão sem dúvida, cada um vai fazer a sua conclusão com certeza, mas não pode apagar as coisas boas que aconteceram - finalizou.



Já o lateral Maicon atribuiu ao vexame sofrido na semifinal e ao gol no início do jogo contra a Holanda, o principal motivo da derrota na disputa de terceiro e quarto lugares. O jogador do Roma (ITA) ainda falou sobre o psicológico abalado:

- Acho que todos jogadores obedecem bem a parte tática, a gente estuda o adversário e toma gol com dois minutos, o psicológico abala. Você toma sete em um jogo e no outro com dois minutos toma outro, isso complicou - afirmou o lateral.

Quando foi perguntado sobre o grupo ter sentido muito o fator emocional, Maicon disse que tentou manter a calma dentro do jogo, mas que alguns jogadores acabam sentindo mais do que outros.

- Alguns sentem mais, outros menos, a gente procura manter a calma dentro de campo. Hoje (contra a Holanda) ainda tivemos força para tentar alguma coisa, mas no jogo passado (goleada alemã) não deu - encerrou.