icons.title signature.placeholder Igor Ramos
28/06/2014
20:11

O respeito ao adversário não é apenas um discurso ensaiado. Os franceses também se baseiam no que já viram até agora nessa Copa do Mundo, com as seleções tida como nanicas desbancando as gigantes. A Costa Rica, primeira colocada e responsável pela eliminação de duas campeãs mundiais (Inglaterra e Itália) é o maior exemplo para o zagueiro.

- O nível do mundial é elevado. Veja a Costa Rica, que fez grandes jogos, magníficos. Estamos vendo que não tem times pequenos. No futebol é cada vez mais difícil  ganhar. E cada jogo será ainda mais difícil - disse o zagueiro, que pode ser titular na partida de segunda-feira, pois Sahko mais uma vez não treinou com bola.

Koscielny entende que o momento é favorável à França, mas ainda não coloca os Bleus com os 'salvadores' do Velho Continente, depois de Portugal, Itália, Inglaterra e Espanha eliminadas.

- Não pensamos assim. Não tem pequenos ou grandes times. É uma eliminação direta. Tudo é possível, sem restrições. Confiamos na nossa capacidade de fazer o melhor. E se passarmos, vamos ver depois as quartas - disse o jogador.

Além da França, o continente europeu está representado pela Alemanha, Holanda, Bélgica e Suíça. Sendo que apenas franceses e alemães fazem parte do seleto grupo de campeões do mundo.

- Todas as seleções podem ganhar. Portugal, Inglaterra, saíram  pois é uma competição de nível elevado, e todos os jogos são muito densos, de grande impacto físico. São jogos importantes e a gente tentou fazer o que precisava para conseguir. Fizemos o máximo para poder passar dessa fase e manter essa mentalidade para continuar e dar o máximo daqui para frente - completou.