icons.title signature.placeholder DANIEL BORTOLETTO E RODRIGO CERQUEIRA
04/07/2014
08:03

Um desavisado, ao acompanhar o treinamento da Holanda, pode achar que Patrick Kluivert é uma das opções do técnico Loius Van Gaal para o ataque. Ele participa de todo o aquecimento com os demais jogadores, sempre puxando papo com o parceiro mais próximo, demonstra, aos 38 anos, estar em boa forma física e, quando tem contato com a bola, deixa aflorar a conhecida habilidade. Tudo isso para ser o elo mais importante entre o elenco e Van Gaal.

Uma função, agora como assistente técnico, tão nobre como a que tinha como artilheiro, o segundo maior da história da Holanda. Ainda mais em uma seleção que já sucumbiu, recentemente, por problemas de relacionamento entre comandante e comandados ou pela divisão entre brancos e negros.

E, até agora, a aprovação de Kluivert é praticamente unânime, segundo o LANCE! apurou. Seu jeito descontraído faz com que transite bem entre os atletas mais jovens e os astros do elenco. No ano passado, inclusive, ele perdeu o rótulo de maior artilheiro da seleção para Van Persie. E, nos jogos que antecederam a quebra, era o maior incentivador para que o atleta do Manchester United o superasse.

Nos treinos, é comum vê-lo comandando as atividades, ao lado de Danny Blind, o outro assistente, com Van Gaal apenas observando, à distância.

– Foi um fantástico jogador e sua experiência agora é importante. Ele conversa com os mais novos, está sempre próximo deles. Quando você é assistente, tem de estar perto do grupo. E ele é bem aceito por isso – disse Pierre van Hooijdonk, ex-companheiro de Kluivert no ataque holandês na Copa de 98.

Kluivert festejou 38 anos na terça-feira passada, no Rio de Janeiro. Ganhou um bolo de aniversário no hotel onde a Holanda estava hospedada, festejou com a esposa e alguns atletas e depois foi jogar frescobol na praia com Van Persie.