icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
09/11/2013
19:40

O título da Série B está a um ponto de ser conquistado, mas a diretoria do Palmeiras ainda não cumpriu a promessa de conversar com Gilson Kleina sobre a renovação de seu contrato, que vence em 31 de dezembro. Já falando em tom de despedida após a vitória por 3 a 0 sobre o Joinville, neste sábado, o técnico levantou a possibilidade de nem ser procurado pelo presidente Paulo Nobre.

- Não cabe a mim responder (se haverá conversa). O que eu sei é que o contrato acaba em dezembro e peço para que todos sejam profissionais até o fim. Se tem um rótulo meu aqui no Palmeiras, é o profissionalismo. Se conversarem ou não, tenho que acatar qualquer decisão. Até porque, não tendo renovação, acaba o vínculo, é natural - declarou.

Paulo Nobre informou, logo após a confirmação do acesso à Primeira Divisão, em 26 de outubro, que chamaria Gilson Kleina para uma reunião na mesma semana. Segundo o mandatário, sua intenção era saber o que o comandante pensava sobre o próximo ano, incluindo sua pedida salarial. O LANCE!Net apurou que já é notável no clube o abatimento do treinador com a situação, mas ele afirma que não ouvirá propostas de outras equipes enquanto não tiver o parecer definitivo do Palmeiras. Mesmo assim, já fala nas decisões que "a próxima comissão técnica" vai tomar.

- Até o fim do meu contrato, vamos manter esse trabalho especial para o Valdivia. Tem gasto, tem exame, tem profissional em cima, tem que corrigir o alinhamento das fibras, para ele ter condição de fazer 90 minutos. Enquanto estivermos aqui, vai ser da nossa maneira. A próxima comissão vai fazer da maneira que achar melhor, e segue o baile - acrescentou.

Com 11 pontos de vantagem sobre a vice-líder Chapecoense e mais quatro rodadas a serem disputadas, o Palmeiras tem boas chances de sagrar-se campeão na próxima terça-feira: basta vencer ou empatar com o Paysandu, no Mangueirão, ou torcer por um tropeço da Chape, em Curitiba, contra o Paraná.