icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
12/03/2014
22:27

Um dos vilões que evitaram uma vitória maior do Palmeiras contra o Vilhena, na noite desta quarta-feira, em Rondônia, pela Copa do Brasil, foi o gramado. Com o 1 a 0 no placar, a equipe paulista terá de jogar a volta dia 10 de abril, no Pacaembu. Em entrevista coletiva, o técnico Gilson Kleina criticou as condições que sua equipe enfrentou no estádio Portal da Amazônia.

Se a grama do palco já não era a ideal, a chuva que caiu na cidade de Vilhena (RO) durante o dia tratou de deixar as coisas ainda piores. O comandante alviverde chegou até citar a Copa do Mundo no Brasil, que começa daqui três meses, para pedir melhores estruturas para o futebol brasileiro.

- Eu acho muito legal a Copa do Brasil, é uma competição democrática. Mas temos de respeitar o público. O torcedor que vem ao estádio exige um bom futebol. Então tem que melhorar a situação de gramado para poder jogar um bom futebol. Isso é importante porque o Brasil vai sediar uma Copa em breve e temos de nos preocupar com a situação do futebol brasileiro. Temos de ter uma estrutura de gramado para podermos ter um futebol de qualidade - disse.

Por fim, Gilson Kleina ainda falou do fato de não ter conseguido descartar a partida de volta. O objetivo era ganhar por dois ou mais gols para justamente dar uma aliviada no calendário. A data do próximo confronto está marcada exatamente entre as duas finais do Paulistão-2014, competição que o Verdão vai bem e tem como objetivo conquistar.

- Temos de exaltar a vitória e fazer uma análise bem fria. Tentamos fazer a eliminação e não conseguimos. Tivemos dificuldade na criação das jogadas, não conseguimos fazer a bola rolar e jogamos pelos lados. Tivemos a iniciativa e a proposta deles era no nosso erro. Mas se a gente não tivesse competido, poderíamos ter saído com um resultado ruim. Não está nada definido, mas levamos uma vantagem importante - concluiu.