icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
16/07/2013
09:44

O espírito que o Grêmio demonstrou na Arena, no domingo, na vitória sobre o Botafogo, foi muito exaltado por jogadores, técnico e diretoria. O próximo desafio para Renato Gaúcho e o grupo é manter a mesma determinação que foi vista na casa gremista. Segundo o atacante Kleber, o elenco tem que entender que não pode tentar 'jogar bonito' e considera que o principal problema para o grupo é a regularidade neste ponto.

O Gladiador avalia que o time de 2012 demonstrava mais a pegada gremista. E também afirmou que nesta temporada, o time teve momentos semelhantes ao do 2 a 1 sobre o Fogão, mesmo sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. Mas que faltou uma manuteção para a partida seguinte.

- Nosso problema é de manter isso. Não adianta jogar como foi contra o Botafogo, e começar de toquinho para o lado em Criciúma. Temos que ir para cima para vencer fora. Sabemos que no Brasileirão quem não vence fora não ganha. Tem que ter a mesma pegada que vimos aqui. Não adianta chegar no vestiario com todo mundo morto, como foi contra o Botafogo, e na partida seguinte perder e ver nego (sic) sentado na banheira, conversando. Ter aquela disposição, aquela pegada, sabendo que demos o nosso melhor. Ano passado já conseguimos manter mais jogos isso - avaliou o camisa 30 gremista.

Na avaliação geral, o jogo de domingo teve a cara do Grêmio, com chuva, dedicação, pressão adversária e vitória no final. Kleber afirma que ter qualidade não é o bastante para jogar no Grêmio.

- É assim que sempre foi o Grêmio. Não adianta querer mudar uma característica que sempre foi. Não adianta ter só jogador de qualidade, quem tem só qualidade aqui pode não jogar. Mas quem tem garra e determinação, joga. Os torcedores querem os caras se matando dentro do campo pelo grupo - completou o Gladiador.

O espírito que o Grêmio demonstrou na Arena, no domingo, na vitória sobre o Botafogo, foi muito exaltado por jogadores, técnico e diretoria. O próximo desafio para Renato Gaúcho e o grupo é manter a mesma determinação que foi vista na casa gremista. Segundo o atacante Kleber, o elenco tem que entender que não pode tentar 'jogar bonito' e considera que o principal problema para o grupo é a regularidade neste ponto.

O Gladiador avalia que o time de 2012 demonstrava mais a pegada gremista. E também afirmou que nesta temporada, o time teve momentos semelhantes ao do 2 a 1 sobre o Fogão, mesmo sob o comando de Vanderlei Luxemburgo. Mas que faltou uma manuteção para a partida seguinte.

- Nosso problema é de manter isso. Não adianta jogar como foi contra o Botafogo, e começar de toquinho para o lado em Criciúma. Temos que ir para cima para vencer fora. Sabemos que no Brasileirão quem não vence fora não ganha. Tem que ter a mesma pegada que vimos aqui. Não adianta chegar no vestiario com todo mundo morto, como foi contra o Botafogo, e na partida seguinte perder e ver nego (sic) sentado na banheira, conversando. Ter aquela disposição, aquela pegada, sabendo que demos o nosso melhor. Ano passado já conseguimos manter mais jogos isso - avaliou o camisa 30 gremista.

Na avaliação geral, o jogo de domingo teve a cara do Grêmio, com chuva, dedicação, pressão adversária e vitória no final. Kleber afirma que ter qualidade não é o bastante para jogar no Grêmio.

- É assim que sempre foi o Grêmio. Não adianta querer mudar uma característica que sempre foi. Não adianta ter só jogador de qualidade, quem tem só qualidade aqui pode não jogar. Mas quem tem garra e determinação, joga. Os torcedores querem os caras se matando dentro do campo pelo grupo - completou o Gladiador.