icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
21/11/2014
09:00

Alan Kardec foi o centro das atenções do desembarque do São Paulo na madrugada desta sexta-feira. O centroavante retornou da Colômbia, onde o time caiu por 1 a 0 para o Atlético Nacional na primeira semifinal da Copa Sul-Americana, com problema no tornozelo direito e precisando de muletas para caminhar. A situação, no entanto, pode ser menos preocupante do que parece.

- Estou muito otimista de ontem (quarta-feira) para hoje (o atleta se referia à quinta-feira, atrapalhado pelo fuso horário). Antes não conseguia apoiar o pé no chão. Agora já consigo apoiar um pouco. O inchaço já diminuiu, a dor também. Então, continuarei o tratamento. Fizemos o tratamento durante o voo também. Torceu, o pé chegou a prender. Acreditava que poderia ter sido algo pior. O primeiro foi mais forte, já o segundo foi só para terminar de me tirar do jogo - explicou o camisa 14.

Os lances citados por Kardec foram dois carrinhos dados por atletas colombianos ainda no primeiro tempo do confronto em Medellín. O primeiro, mais grave, foi dado pelo goleiro Armani, em lance passível até mesmo de expulsão. Passado o susto, o atacante terá de correr contra o tempo para se recuperar em menos de uma semana se quiser participar do jogo de volta no Morumbi.

- Estou otimista. Vou trabalhar para que esteja da melhor maneira possível. Estou muito otimista em relação ao tratamento. Então, vamos continuar com intensidade, tratando de manhã, de tarde e de noite. Tem que tratar na hora que for possível para estar recuperado o mais rápido possível - disse.