icons.title signature.placeholder RADAR/LANCEPRESS!
06/11/2014
11:50

Depois de mais uma classificação heroica, desta vez contra o Fla, no Mineirão, o Atlético-MG vai fazer uma decisão histórica da Copa do Brasil contra o rival Cruzeiro. Pensando no melhor para o Galo, o presidente do clube, Alexandre Kalil, não descartou mandar o jogo no estádio Independência. O mandatário afirmou que vai reunir a diretoria mais tarde para definir o local do jogo.

- Estou esperando dar mais tarde um pouquinho para chamar a diretoria e decidir. Mas uma coisa que eu digo à torcida do Atlético é o seguinte: a última coisa que eu vou pensar nessa Copa do Brasil é em dinheiro. Então, quer dizer, o palco (Mineirão) foi lucrativo, foi interessante, agora eu não descarto o Independência. Na minha opinião, faltando 28 dias para eu deixar a presidência do clube, eu digo que o Independência faz parte dessa mudança do nosso time. Esse time que perdeu o medo, que acredita, que é respeitado, que voltou para a prateleira de cima. Então eu não vou descartar o Independência de forma nenhuma – disse à SporTV.

O presidente do Galo revelou ainda que a comissão técnica e os jogadores vão ter influência na decisão da escolha do local onde o time vai mandar a final da competição contra a Raposa.

- Tem (direito a opinar sobre o local do jogo). Os jogadores também. Quando nós levamos o jogo do Corinthians para o Mineirão foi um pedido dos jogadores. Eu não vou tomar monocraticamente uma decisão desse tamanho, até pelo pouco tempo que eu tenho na presidência do Atlético. Eu não quero deixar um legado, eu não fui um ditador durante seis anos e não quero ditar durante esses 20 dias sobre uma decisão tão importante na vida do Atlético – revelou o mandatário, afirmando também que poder escolher onde jogar é uma vantagem para o Galo.

- O único clube que tem a opção de escolher onde jogar é o Atlético. O Cruzeiro não, tem um contrato, é obrigado a jogar no Mineirão. Isso é uma vantagem e temos que aproveitar essa vantagem. Agora, nós vamos tomar uma decisão com calma, com tranquilidade e esperar passar esse momento de euforia maluca em Minas Gerais – concluiu.