icons.title signature.placeholder Bruno Andrade, Eduardo Mendes e Igor Siqueira
16/04/2014
13:29

O presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, adotou um discurso duro para explicar sua versão da negociação com Anelka. O dirigente afirmou que manteve sim contato com pessoas próximas do jogador, mas como o combinado não foi cumprido, a iniciativa de não concretizar o negócio partiu do lado atleticano.

- Gastamos com passagens para a França, para Miami. Se não fosse comigo, eu não iria acreditar no que aconteceu. Como ontem chutamos a bunda dele - porque ele falou que ia chegar dia 19, nós mandamos ele chegar em outro lugar e a história é essa - ele falou que foi tudo fantasia. Mandamos ele plantar batata. Vamos mostrar que não é fantasia porque temos tudo assinado, nós vamos à Fifa. Ele vai ter que pagar o que nós gastamos com passagem e hospedagem. O Anelka vai pagar a despesa toda. Fiquei muito triste - disse Kalil, ao sair da eleição da CBF nesta quarta-feira.

O dirigente também atacou irmão do atacante francês, responsável pelas conversas com o Galo ao lado do empresário carioca Robson Lima:

- É fantasia? Então o irmão dele é vigarista, porque tratou inclusive da comissão. Mas não pagamos. Era parte este ano e outra parte no ano que vem. Era o irmão do Anelka. Geralmente quando o irmão está envolvido, que é a experiência que tenho com o próprio Ronaldinho, você acha que a coisa é séria.

Anelka nega acerto com Atlético-MG