icons.title signature.placeholder Francisco Loureiro e Marcio Porto
16/04/2014
19:49

Kalil Rocha Abdalla chegou ao Morumbi, reuniu a imprensa como gostaria e disparou contra a manobra feita pela situação do São Paulo para as eleições presidenciais desta quarta-feira. O líder da oposição fez acusações contra o projeto de reforma do Morumbi e afirmou que a desistência da candidatura foi a última tentativa de aproximação com os pares de Carlos Miguel Aidar, aclamado novo presidente do clube, e Juvenal Juvêncio.

- Não posso aceitar essa eleição da maneira que está sendo conduzida. Eles não podiam incluir essa sessão sobre a reforma. Tinha que ter uma outra lista, uma pra eleição e outra para o estádio. Tentaram obter o quórum necessário para o maldito projeto a qualquer custo. A situação não terá o número necessário para votar. Eles já têm a vitória com candidato único com o Aidar e vão ficar só com isso - atacou Kalil.

O oposicionista afirma ter o apoio da maioria dos integrantes da sua chapa, mas reconheceu que alguns membros eram favoráveis ao projeto. Kalil citou pontos que considera absurdos na reforma do Morumbi e afirma que a chapa SPFC Forte será impiedosa para cobrar a situação no caso.

- A oposição está unida, mas tem um ou outro que queria votar. A chapa vai exercer o cargo de opositor até o final, é contra o projeto. Não tem mais construtora (Andrade Gutierrez abandonou o projeto), não tem nada. O estacionamento é em frente a um prédio tombado, não pode. A arena multiuso não vai dar nada por 20 anos. Não nos interessa. Vamos retirar a candidatura - sentenciou.

Na última terça-feira, Kalil Rocha Abdalla foi eleito para o terceiro mandato consecutivo no comando da Santa Casa de Misericórdia, fato que foi usado por Aidar para atacar o adversário durante a campanha eleitoral.