icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/07/2014
14:09

Na tarde da última quarta-feira, o presidente do Alexandre Kalil oficializou sua candidatura pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) no cargo de deputado federal. O anúncio foi feito na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, mas o homem forte do Galo também falou sobre futebol. Um dos assuntos mais comentados foi o caso Ronaldinho. Recentemente, o irmão do craque, Assis, teve uma ligação telefônica grampeada pela justiça. Na conversa, Assis comenta com um líder de uma quadrilha de cambistas que pretende levar Ronaldinho Gaúcho para o Catar, local onde o jogador passaria a ganhar cerca de 10 milhões por temporada.

- O Ronaldo tem muita consciência do que o Atlético fez para ele e o que ele fez para o Atlético. Faltam seis meses para o contrato dele acabar e ano que vem ele vai resolver com o novo presidente se ficará ou não. Mas o profissional tem que estar motivado, ele é um ser humano igual a todos, ele quer ter sucesso, quer continuar com a torcida gritando o nome e ele sabe que a torcida do Atlético exigente, chata, não pode brincar com essa torcida - falou Kalil, sobre a possibilidade de R10 deixar o Atlético-MG ao fim da temporada, quando terá seu contrato encerrado com o clube mineiro.

MAIS:
> Atlético-MG volta da China e jogadores ganham folga
> Maluf cita 'mercado parado' para explicar poucos reforços

Adepto das alfinetadas, Kalil não deixou passar um comentário sobre a atuação do meia dentro de campo. Apesar de ter elogiado o desempenho de R10 na recente intertemporada do Galo na China, o presidente frisou que na atual temporada no Brasil, o craque ainda está aquém das expectativas.

- O Atlético tem que saber se ele quer jogar no ano que vem, porque este ano ele não jogou. Jogou lá na China, mas eu não fui, então não vi - finalizou Kalil.