icons.title signature.placeholder Bruno Grossi
06/07/2014
09:00

O drama instaurado por todo Brasil com a lesão que tirou Neymar da Copa do Mundo também foi vivido por outro craque brasileiro. Antes mesmo de se profissionalizar pelo São Paulo em 2001, Kaká fraturou a sexta vértebra após escorregar enquanto brincava em uma piscina e correu o risco de ver o sonho de ser jogador de futebol interrompido.

O acidente, que aconteceu em Caldas Novas (GO) deixou o meia e seus familiares apreensivos, mas foi superado. Em menos de um ano, Kaká estava pronto para servir o time profissional do Tricolor sob o comando do técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão.

– Ele nunca comentava. Sempre foi muito tímido e evitávamos tocar no assunto. O importante é que foi superado – exaltou o treinador da Seleção Brasileira feminina ao LANCE!Net.

A lesão sofrida por Kaká na adolescência foi mais grave do que a enfrentada por Neymar após o choque com o colombiano Zúñiga nas quartas de final da Copa do Mundo. Enquanto o ex-santista fraturou a terceira vértebra lombar, o reforço são-paulino teve a sexta fraturada. A lesão obrigou Kaká a passar dois meses com um colete cervical e com a dúvida se poderia seguir no futebol.

- Não comentava nada sobre o acidente. Sabíamos por conversas dos outros, mas não perguntávamos porque sabíamos que era uma coisa complicada. Uma lesão assim, que poderia ter atrapalhado a carreira, é complciada para jogador administrar - afirmou Sidney Moraes, técnico do Náutico e ex-companheiro de Kaká.