icons.title signature.placeholder Alexandre Araújo
17/07/2014
01:00

O bastidor de São Januário está cada vez mais agitado. O grupo de conselheiros que idealizou o requerimento e a lista de assinaturas pedindo a exclusão de Eurico Miranda do quadro social promete dar um passo a mais caso a solicitação não seja atendida até sexta-feira, envolvendo, inclusive, a Justiça.

A intenção é que, se até o fim desta semana o presidente do Conselho Deliberativo, Abílio Borges, não se pronunciar sobre uma possível data para reunião do Deliberativo com esta pauta específica, aconteça uma ação na Justiça para que, por meio dela, o dia do encontro seja definido.

Em contato com o LANCE!Net, Abílio Borges, afirmou que está tomando todas as precauções possíveis para que a reunião seja marcada dentro da democracia e do que rege o estatuto.

- Procuro analisar dentro daquilo que eu entendo e procuro ser democrático. Tenho certa formação e experiência de vida, Vou ouvir todas as partes. Para ser justo, pedi que levassem uma copa (do documento) ao departamento jurídico do Vasco para que desse opinião. Tenho de estar ciente de que o documento atende à legalização. Estamos em um momento crucial, com cerca de 20 dias para a eleição - disse.

O documento com a lista em anexo foi protocolado na noite última segunda-feira. Segundo o LANCE!Net apurou, forma conseguidas 78 assinaturas (segundo o estatuto, o mínimo é de 75 para que o pedido chegue ao Conselho Deliberativo).

A ideia do pedido surgiu em meados de maio, quando Eurico Miranda, atual presidente do Conselho de Beneméritos, teve negado um recurso, obrigando-o a ressarcir o Vasco em R$ 1,3 milhão - sob valores do final dos anos 1990 - mais correção monetária e juros.

Na época, o então vice-presidente do clube criticou desembargadores que decretaram a prisão de Edmundo. Os magistrados, então, processaram o clube, receberam a quantia desejada e o Cruz-Maltino, posteriormente, pediu o ressarcimento por parte de Eurico.