icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/11/2013
11:58

A justiça italiana irá convocar para depor os ex-jogadores Verón, Asprilla, Apolloni, Chiesa, Thuram, Dino Baggio, Crespo, Stoichkov, Brolin, Minotti e Crippa. Todos serão ouvidos no processo que investiga a falência do Parma, no período em que o clube italiano era patrocinado pela empresa de laticínios Parmalat.

Os ex-jogadores citados defenderam o Parma entre 1992 e 2003, e são acusados de participar da quebra da Parmalat. A empresa era propriedade de Calisto Tanzi, que também era o acionista majoritário do clube.

Segundo as investigações, dinheiro da Parmalat era desviado mediante contratos falsos de publicidade assinados com os ex-jogadores mencionados no processo. As notas referentes às prestações de serviços foram assinadas pelos próprios ex-jogadores ou pelos seus representantes.

O diário italiano "La Gazzetta dello Sport" informou que foram desviados da Parmalat a quantia de 5,6 milhões de dólares (R$ 12,6 milhões), só em nome do argentino Verón. No caso de Asprilla foram 4,4 milhões de dólares (R$ 10 milhões), enquanto que sob o nome de Crespo foram desviados 2 milhões de dólares (R$ 4,5 milhões).