icons.title signature.placeholder Felippe Rocha e Rodrigo Ciantar
icons.title signature.placeholder Felippe Rocha e Rodrigo Ciantar
25/07/2013
12:08

Juninho Pernambucano quer curtir todos os momentos desta que provavelmente será sua última temporada como jogador profissional. Se na semana passada viveu a expectativa por reestrear pelo Vasco e justamente no Maracanã, onde não pisava desde o início de 2001, agora aguarda pelo retorno a São Januário, estádio que conhece mais do que bem.

O último jogo de Juninho em São Januário foi no dia 11 de novembro de 2012, pelo Brasileirão, contra o Atlético Mineiro. O jogo terminou 1 a 1.

- São Januário, junto com o campo do Lyon, é onde entrei mais vezes. Com certeza já passei aí dos 900 jogos na carreira e 80% ou 70% foram entre São Januário e Lyon. Vi que as dimensões diminuíram, pelo padrão Fifa, até pode me ajudar talvez (risos). O gramado está um pouco castigado, isso tem de ressaltar, treinar todos os dias aqui e jogar vai nos atrapalhar. Mas é um estádio que gosto muito de jogar. O Dedé que falava pra mim, que sentia uma energia positiva nos jogos aqui - disse Juninho, que pede apoio e, principalmente, paciência da torcida no sábado, contra o Criciúma.

- Com presença e apoio da torcida, aumenta muito a nossa chance de ganhar. No ano passado já falei isso até. Contamos com eles e, se tiver um pouco de paciência, seria ideal (risos).

O Reizinho admite que a reestreia, no último domingo, contra o Fluminense, foi até melhor do que ele mesmo esperava.

- Foi melhor do que esperava. Tinha feito um jogo no dia 12 de junho pela copa local e com gramado sintético. Último jogo pelo Red Bulls no campeonato normal foi em 1 de junho. Estava bastante tempo sem jogo oficial. Mas não parei até porque tudo ocorreu muito rápido. Continuei treinando sozinho antes de acertar. Claro que, quanto mais tempo fica sem jogar quando se é mais velho, perde mais força. Senti um pouco no fim do jogo. Mas coisas foram clareando. No primeiro tempo, a primeira chance que tive fiz um gol - contou o Reizinho.

Quando chegou ao clube, Juninho disse que provavelmente encerraria a carreira no fim deste ano, quando acaba seu vínculo com o Vasco. Na coletiva desta manhã, reafirmou essa situação e, até por isso, quer curtir todos os momentos:

- Na verdade, até o fim do ano, não vai mudar muita coisa entre minha performance. Claro que a expectativa é de alguma conquista, nem que seja classificação para uma Libertadores. Coisas importantes que pudesse ajudar o grupo seria importante e uma motivação extra. Mas quero curtir esses cinco meses, me concentrar no que tenho de fazer. Vai ser um semestre bem intenso. Tendência realmente é que eu encerre este ano.



Juninho Pernambucano quer curtir todos os momentos desta que provavelmente será sua última temporada como jogador profissional. Se na semana passada viveu a expectativa por reestrear pelo Vasco e justamente no Maracanã, onde não pisava desde o início de 2001, agora aguarda pelo retorno a São Januário, estádio que conhece mais do que bem.

O último jogo de Juninho em São Januário foi no dia 11 de novembro de 2012, pelo Brasileirão, contra o Atlético Mineiro. O jogo terminou 1 a 1.

- São Januário, junto com o campo do Lyon, é onde entrei mais vezes. Com certeza já passei aí dos 900 jogos na carreira e 80% ou 70% foram entre São Januário e Lyon. Vi que as dimensões diminuíram, pelo padrão Fifa, até pode me ajudar talvez (risos). O gramado está um pouco castigado, isso tem de ressaltar, treinar todos os dias aqui e jogar vai nos atrapalhar. Mas é um estádio que gosto muito de jogar. O Dedé que falava pra mim, que sentia uma energia positiva nos jogos aqui - disse Juninho, que pede apoio e, principalmente, paciência da torcida no sábado, contra o Criciúma.

- Com presença e apoio da torcida, aumenta muito a nossa chance de ganhar. No ano passado já falei isso até. Contamos com eles e, se tiver um pouco de paciência, seria ideal (risos).

O Reizinho admite que a reestreia, no último domingo, contra o Fluminense, foi até melhor do que ele mesmo esperava.

- Foi melhor do que esperava. Tinha feito um jogo no dia 12 de junho pela copa local e com gramado sintético. Último jogo pelo Red Bulls no campeonato normal foi em 1 de junho. Estava bastante tempo sem jogo oficial. Mas não parei até porque tudo ocorreu muito rápido. Continuei treinando sozinho antes de acertar. Claro que, quanto mais tempo fica sem jogar quando se é mais velho, perde mais força. Senti um pouco no fim do jogo. Mas coisas foram clareando. No primeiro tempo, a primeira chance que tive fiz um gol - contou o Reizinho.

Quando chegou ao clube, Juninho disse que provavelmente encerraria a carreira no fim deste ano, quando acaba seu vínculo com o Vasco. Na coletiva desta manhã, reafirmou essa situação e, até por isso, quer curtir todos os momentos:

- Na verdade, até o fim do ano, não vai mudar muita coisa entre minha performance. Claro que a expectativa é de alguma conquista, nem que seja classificação para uma Libertadores. Coisas importantes que pudesse ajudar o grupo seria importante e uma motivação extra. Mas quero curtir esses cinco meses, me concentrar no que tenho de fazer. Vai ser um semestre bem intenso. Tendência realmente é que eu encerre este ano.