icons.title signature.placeholder Alexandre Braz
05/03/2014
13:19

Apesar de o elenco do Botafogo estar com o discurso afinado em relação à crença na possibilidade de classificação para as seminais do Campeonato Carioca, os jogadores não escondem que o objetivo do time, e de todos no clube, é a Copa Libertadores. Para o jogo de quinta-feira, contra o Audax, em Moça Bonita, pela 12ª rodada do Estadual, os alvinegros entram em campo com a equipe titular. No entanto, o pensamento de todos já está na próxima partida da competição sul-americana.

Na opinião do lateral-esquerdo Julio Cesar, mesmo que o jogo com a equipe da Baixada seja importante, ele será uma preparação para o compromisso da semana que vem, em Quito (EQU), diante do Independiente del Valle.

- Temos um compromisso importante contra o Audax, mas o clube não tem porque não deixar o Carioca de lado por um ano, e tentar viver a Libertadores, que tem sido tão importante. Tem sido importante para o clube, para a torcida, que voltou a lotar o Maracanã - disse Julio, reforçando a necessidade de todos já estarem concentrados:

- Vamos pegar uma viagem desgastante para o Equador. Será um jogo difícil. Temos de estar com a energia lá em cima, é um jogo na altitude e precisamos estar preparados.

E MAIS:
> Nilton Severiano: Assim como Marcelo Mattos, vamos sonhar com a América
> Marcelo Mattos defende planejamento: 'O mais importante é a Libertadores'
> Com Helton Leite e Daniel, Botafogo inicia preparação para enfrentar o Audax

Enquanto na Libertadores o Botafogo lidera o Grupo 2 com quatro pontos, no Estadual, os alvinegros estão na sexta posição na tabela de classificação, com 15. Mesmo afirmando que é necessário fazer uma boa apresentação na quinta-feira, Julio Cesar voltou a defender a prioridade à competição que julgam ser a mais importante.

- Enquanto tiver chance de classificação no Carioca, vamos lutar. Não queríamos estar nessa situação. Mas o planejamento está certo, a Libertadores é uma competição que não disputávamos há anos. Entendemos a torcida, a imprensa, mas a Libertadores está na cabeça e não podemos fugir disso - disse.