icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
30/06/2014
14:48

Na Granja Comary, o Capitão América ganhou roupagem personalizada: escudo nas cores do Brasil, chuteira nos pés e o número 12 de Julio Cesar à frente do peito. A homenagem ao goleiro responsável pela classificação contra o Chile chamou a atenção na rua onde a torcida tem acesso para ver os treinos do Brasil.

O boneco de cerca de 1,70m foi colocado antes dos jogadores irem a campo para o trabalho desta segunda-feira em Teresópolis. Os responsáveis pela escultura já tinham feito uma homenagem a Hulk, que também teve o personagem transformado em uma grande figura colocada próxima à entrada do centro de treinamento.

- Vamos deixar até o final da Copa. Julio foi o grande destaque no último jogo. Agora vamos esperar quem irá se destacar na sexta-feira - disse a cenógrafa Débora Santana, que já havia produzido uma estátua do Fuleco, colocada próxima à prefeitura da cidade.

A iniciativa ganhou também uma causa especial. Perto do boneco, foi colocada uma faixa com pedidos de ajuda a Maria Luíza, portadora da síndrome de rett (anomalia que causa desordens neurológicas, comprometendo funções motora e intelectual). O pai da criança, que completará três anos no início do próximo mês, conta com o apoio dos jogadores para rifar camisas. O intuito é angariar recursos para custear o tratamento que custa R$ 60 mil por ano.

- É uma forma de os jogadores se aproximarem de nós. O primeiro a dar a camisa foi Julio Cesar. Depois, Jefferson me ligou e também contribuiu - explicou Luiz Antonio Branco.

O pai de Maria Luíza já recebeu quatro camisas doadas também por Luiz Gustavo e David Luiz e um par de chuteiras de Willian. Foi criada a hastag "todos juntos pela Maria Luíza" para divulgar a campanha nas redes sociais.