icons.title signature.placeholder Eduardo Mendes, Maurício Oliveira e Thiago Salata
19/06/2014
18:38

A goleada por 4 a 0 da Croácia sobre Camarões não anima Julio Cesar. Para o goleiro, o último jogo da primeira fase será tão difícil quanto foram os dois primeiros na Copa do Mundo. Por isso, ele prefere não comentar sobre Chile e Holanda, que decidirão a posição no Grupo B e o adversário do Brasil nas oitavas de final – caso a Seleção Brasileira se classifique, claro – no próximo dia 23, na Arena Corinthians, em São Paulo.

– Vou ser bem sincero. Não gostaria de responder (se prefere Chile ou Holanda). Temos jogo contra Camarões que decide a classificação. Falar agora seria desrespeito a Camarões. Se tiver de falar, vou falar depois, se Deus quiser, da classificação – afirmou o goleiro, depois de treinar na chuva, na reapresentação dos jogadores na Granja Comary, em Teresópolis.

– Camarões é uma seleção forte, que quer mostrar serviço, mesmo eliminada. Passar em primeiro é nosso objetivo. A Seleção, em toda competição que chega, pensa em fazer sempre o melhor. Temos essas condições, não pensando em fugir de A, B ou C – completou o goleiro.

Um fator que contribuiu para a goleada sofrida por Camarões contra a Croácia foi a expulsão do meio-campista Song, ainda no primeiro tempo, depois de dar um soco nas costas do atacante croata Mandzukic.

Julio Cesar lembrou que a dificuldade apresentada diante do México e o fato de a Seleção não ter saído na frente no placar, o que não aconteceu ainda na Copa do Mundo, ajudam a Seleção a se preparar para o Mundial.

– A evolução vem devido ao fato da gente ter jogado bem contra uma equipe que jogou bem defensivamente. Na Copa das Confederações, saímos sempre à frente. E isso facilitava. O México se preparou bem para essa partida. Não fizemos, digamos, coletivamente uma partida boa, mas foi devido à grande marcação que o México teve sobre nossos principais jogadores – afirmou o goleiro.