icons.title signature.placeholder Gabriel Carneiro
25/03/2014
10:05

Rebaixado para a Série A2 do Campeonato Paulista sem ter vencido nem sequer uma de suas 15 partidas no torneio, o Paulista de Jundiaí tentou, ainda em fevereiro, uma última cartada contra a degola. Em negociação com a diretoria do Santos, o clube do interior pediu o empréstimo do meia Léo Cittadini, do lateral-direito Crystian e do zagueiro Philipe Sampaio, todos promessas da base alvinegra. O primeiro, mais badalado, recusou o convite, mas os outros dois toparam e não conseguiram evitar o rebaixamento.

- Aqui no Santos, a gente é acostumado a ganhar tudo. Aí decidi ir para um time que estava perdendo tudo. Futebol é feito de fases, e essa foi uma fase que eu quis na minha vida, que só ajudou. Fui jogar no Paulista porque jogador é feito para jogar. Lá eu podia estar mostrando mais ao invés de ficar só treinando. Jogar em uma situação diferente, onde o psicológico não é bom e nada dá certo pesa bastante se você se sobressair - sentencia o zagueiro Philipe Sampaio, ao LANCE!Net.

Philipe rescindiu contrato com o Paulista de Jundiaí na segunda-feira e se reapresenta ao CT Rei Pelé nesta terça. O jogador retomará a rotina normal de treinamentos e espera ficar à disposição do técnico Oswaldo de Oliveira o mais rapidamente possível. Aos 19 anos, o zagueiro ainda não atuou pelo profissional do Santos, mas pôde estrear em três compromissos do Paulistão com a camisa da equipe de Jundiaí.

- Minha expectativa é de que agora volto mais maduro, porque pude jogar no profissional, e zagueiro tem que ter essa segurança e experiência. Joguei sob pressão, e trago essa bagagem para o Santos - afirma Philipe, que é jogador do Santos há apenas três anos.

Até 2011, Philipe defendia a base do São Paulo, e participou do título da Copa São Paulo de Juniores no time de Bruno Uvini, Casemiro e Marcelinho (hoje Lucas, que está no PSG, da França). No ano seguinte, recebeu convite do Santos e afirma que "não pensou duas vezes". Na Vila Belmiro, repetiu o título da Copinha em 2013 e estava no elenco de 2014, mas sofreu uma lesão no braço e não conseguiu atuar.

VAI TER ESPAÇO?

A esperança de Philipe Sampaio para poder entrar em campo neste retorno ao Santos é a mesma que levou o garoto Nailson, titular da Copinha em 2014, a ser relacionado para o clássico diante do Palmeiras, no último domingo. Os titulares da zaga, Edu Dracena e Gustavo Henrique, estão gravemente lesionados, e o Santos não tem conseguido acertar com um reforço no setor - Bruno Uvini está na pauta, assim como alguns nomes do mercado internacional.

- Ainda não tive nenhuma oportunidade com o Oswaldo, mas espero mostrar a ele que tenho potencial. Espero ser observado nesse retorno, porque estou há três anos no clube e quero jogar profissionalmente para ser relacionado e fazer história no Santos - encerra, confiante.