icons.title signature.placeholder Gabriela Abrunheiro
12/07/2014
14:37

A jovem paulistana Isabelle Pazzi, de 15 anos, conseguiu algo que os 23 jogadores convocados para defender a Seleção Brasileira até tentaram, mas acabaram fracassando: pisar no gramado do Maracanã, neste domingo, dia 13 de julho, na final da Copa do Mundo de 2014. Ela será uma das 12 crianças que carregarão as bandeiras da Argentina e da Alemanha no cerimonial de fechamento do torneio.

A oportunidade de ser porta-bandeira na decisão veio por meio de uma seleção realizada pela Coca-Cola, patrocinadora oficial da Fifa. O tema proposto no concurso foi: Como a atividade física é importante na vida de cada um dos jovens. Márcio Atalla, professor de Educação Física e que comanda o quadro "Medida Certa", no Fantástico, foi o responsável por selecionar os vencedores.

- Quando fiz 14, fui na pediatra e vi que eu estava no grau de obesidade 1. Meu médico, que era chato, me disse: Você está horrível, você está gorda. Você tem que emagrecer, caso contrário você vai sofrer com isso. Subi na balança e estava pesando 81 kg. Peguei e falei: preciso emagrecer - explicou Isabelle Pazzi, ao LANCE!Net.

- Comecei a fazer bastante esporte (vôlei) e mudei um pouco minha alimentação. Hoje já estou pesando 67, então, já mudou bastante. Fiz isso para melhorar minha saúda e porque também queria ter uma grande festa de 15 anos. Fiquei muito feliz de conseguir. Na verdade, ainda quero um pouco mais, mas é muito bom para uma pessoa conseguir querer uma coisa e conseguir - complementou.

Atualmente, Isabelle faz academia, corre no parque e ainda joga tênis. Animada com a possibilidade de acompanhar de perto a final da Copa, ela vai torcer pelo tetracampeonato da Alemanha, do "lindo" goleiro Neuer.

- Achava que o Brasil chegaria à final, mas... Tenho expectativa que a Alemanha ganhe. Não gosto da Argentina. Vai ser um jogão. São duas seleções que estão jogando muito. Pensei em aprender a falar "oi" em alemão, porque eles (alemães) são lindos. Ainda mais aquele goleiro (Neuer). Mas não sei, não sei se vou conseguir falar com eles - brincou.

Ex-são-paulina, Isabelle Pazzi agora torce para o Corinthians. Para os pais, a mudança na torcida foi influenciada pelo ex-namorado. Mas a versão dela é outra.

- Minha avó sempre foi corintiana. Eu falava que odiava o Corinthians, mas adorava ver jogo com ela. Na Libertadores de 2012, torci pelo Corinthians e resolvi assumir de vez - finalizou.