icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
17/06/2014
19:23

O empate da segunda partida da Seleção Brasileira na Copa do Mundo não foi o resultado esperado pelos brasileiros. Apesar do México ser um adversário bastante complicado nos últimos tempos, uma vitória poderia ter classificado a equipe nacional para a fase de oitavas de final, mas a celebração foi adiada. E o grande culpado já foi encontrado. Eleito melhor jogador da partida, o goleiro mexicano Guillermo Ochoa foi o grande responsável por parar o ataque da Seleção Brasileira e garantir o 0 no placar.

A imprensa mexicana considerou o empate um grande resultado e exaltou a atuação da equipe do México, com louvores a Ochoa. O "Estadio" estampou: "Em um dos melhores jogos do Mundial e com um Ochoa monumental, México arranca o empate com o Brasil!".  O diário "Récord" classificou o goleiro como "herói nacional" após a partida.

Os argentinos, sempre bastante críticos, também destacaram o desempenho da seleção mexicana, pricipalmente o de Ochoa, que segundo o jornal "Olé", colocou um cadeado no gol. A atuação dos brasileiros também não foi poupada de críticas pelo jornal. Nas principais publicações da Argentina há também um destaque especial para as lágrimas de Neymar durante a execução hino nacional brasileiro.

Ochoa e Neymar são destaque no argentino "Olé" (Foto: Reprodução)

O uruguaio "La Nacion" estampa Neymar com as mãos no rosto após a partida e diz que o Brasil dormiu durante o confronto e apenas empatou com o México, que teve chances de complicar o jogo. Já o "La Tercera" do Chile afirma que o México surpreendeu o Brasil arrancou um bom empate sem gols.

Na Europa, os lusos do "Récord" consideram que a partida foi boa, mas lamentam a falta de gols, ressaltando a segurança de Ochoa, mas também dando créditos a Julio César, que segurou o ataque mexicano quando exigido. O espanhol "Marca" estampa: "A fortaleza Ochoa", em alusão ao nome da capital cearense, e fala que o arqueiro mexicano freou o ataque brasileiro. Os espanhóis também destacam a emoção de Neymar durante o hino. O inglês "Daily Mail" exaltou e comparou a defesa do goleiro mexicano na cabeçada de Neymar à de Gordon Banks na conclusão de Pelé na Copa de 70.