icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
28/11/2013
12:38

O técnico Jorginho começa a escrever seu nome na história da Ponte Preta. E sabe muito bem disso. Afinal, são 113 anos sem um título de expressão e o treinador está prestes a realizar o maior sonho da torcida pontepretana. E poderá ser com chave de ouro, logo no primeiro torneio internacional do clube. A Macaca surpreendeu novamente, deixou para trás o São Paulo e agora aguarda o vencedor do confronto entre Lanús (ARG) e Libertad (PAR) na decisão da Copa Sul-Americana.

- Nos alegramos muito porque demos mais um passo na direção de uma conquista. Todo os méritos são dos jogadores, pelo o que eles fizeram e pela forma com que jogaram: com raça, ligados e bem organizados taticamente. O São Paulo é uma grande equipe e é a atual campeã Sul Americana, então não ganhamos de qualquer um - declarou Jorginho, após o empate da última quarta-feira com o Tricolor por 1 a 1, no Romildo Ferreira, em Mogi, que garantiu a Ponte na final.

O treinador já passou a próxima missão para os jogadores: assistir atentamente à partida entre Lanús e Libertad nesta quinta-feira. A equipe argentina venceu por 2 a 1, fora de casa, e joga com a vantagem do empate para enfrentar a Ponte na final.

- Passei um dever de casa para todos os jogadores, que é assistir ao jogo entre Lanus e Libertad. Independente de quem passe, teremos pela frente dois jogos muito duros. O torcedor pode ter certeza que vamos dar a nossa vida, de todo o coração, para conquistar o nosso objetivo, que é o objetivo da Ponte em 113 anos, o título de campeão.

A relação de Jorginho com a Ponte é das melhores possíveis. Desde que assumiu a equipe em setembro, durante o Brasileiro, vem conquistando a confiança do torcedor e hoje já está identificado com o clube. Antes da partida diante do São Paulo, foi o nome mais cantado pela torcida, que lotou o Romildão como se fosse o Moisés Lucarelli.

- Quero agradecer de todo o coração ao nosso torcedor, que tem feito uma grande diferença. Esperamos contar com eles no próximo jogo da Sul Americana, que provavelmente será no Pacaembu, e queremos muito que o torcedor esteja presente. O maior patrimônio que um clube tem é o seu torcedor e eles estão de parabéns. Um torcedor sofredor, com 113 anos de história sem nenhum título significativo, e estamos muito próximos de conquistar - completou.

Como a Conmebol exige capacidade mínima de 40 mil lugares para a decisão, o próximo destino da Ponte Preta deve ser o Pacaembu. A primeira partida da final será na próxima quarta-feira, dia 4, com mando da Macaca, e o jogo de volta na casa do adversário, no dia 11.