icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/03/2014
15:47

Os Jogos Parasul-Americanos de Santiago, no Chile, estão servindo como uma importante etapa para a difusão do tênis em cadeira de rodas no Brasil. Pela primeira vez desde 1999, o país conta com representantes da classe Quad em uma competição internacional. É o caso do brasiliense Dave Raposo, que completa 36 anos nesta sexta-feira, e do catarinense Ymanitu Geon, 31.

Esta é a primeira edição da competição sul-americana multidisciplinar em âmbito paralímpico. Oito países, incluindo o Brasil, disputam sete modalidades até o domingo: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, halterofilismo, natação, tênis de mesa e tênis em cadeira de rodas. A delegação verde-amarela conta com 81 atletas.

Quad é a classe do tênis em cadeira de rodas voltada para atletas com deficiência em três ou quatro membros, majoritariamente praticada pelos tetraplégicos - daí a origem do nome Quad, da expressão em inglês quadriplegic (tetraplégico). Nas Américas, apenas Canadá e Estados Unidos possuem atletas competindo com frequência no circuito internacional. Por este motivo, o Quad não faz parte do programa dos Jogos Parapan-Americanos. Mas estará nos Jogos Paralímpicos do Rio-2016.

No Para-Sulamericano de Santiago, sete tenistas disputam a medalha de ouro, dos quais, dois são brasileiros. Dave e Ymanitu correspondem a 50% dos atletas do país classificados para disputar torneios de Quad, e, por isso, estão no Chile. A última vez que um brasileiro disputou uma competição internacional nesta classe foi no Mundial de 1999, nos Estados Unidos.

- O Brasil possui uma boa quantidade de tetraplégicos competindo no tênis de mesa, natação, bocha e rúgbi em cadeira de rodas. A ideia é que a classe dos Quad possa crescer no país também, e isso passa por nossa participação aqui no Para-Sulamericano de Santiago - contou Wanderson Cavalcante, coordenador do tênis em cadeira de rodas na Confederação Brasileira de Tênis (CBT).

Dave estreou na manhã desta quinta-feira contra o peruano Martin Ordoñez e perdeu por 2 sets a 0. Nesta sexta-feira será a vez de Ymanitu jogar. Ele enfrenta o equatoriano Edison Molina.
O tênis de cadeira de rodas brasileiro conta com mais quatro atletas nos Jogos Para-Sulamericanos: Carlos Jordan dos Santos, Natalia Mayara, Rejane Cândida e Daniel Rodrigues, que venceu na estreia da chave de simples o peruano Joel Myhua, por 2 a 0.

*Divulgação assessoria de imprensa