icons.title signature.placeholder Rodrigo Ciantar
29/06/2014
08:45

Neste domingo, o Castelão vai receber o confronto entre Holanda e México e a Arena Pernambuco, Costa Rica e Grécia, ambos pelas oitavas de final da Copa do Mundo. O Estádio Ernani Sátiro (o Amigão), em Campina Grande, também será palco de uma decisão, mas de uma competição longe de estar no padrão Fifa. Botafogo-PB e Campinense jogam a final do Campeonato Paraibano, único estadual de primeira divisão ainda em andamento. Obras em estádios, campo sem marcações ou esburacado e falecimento de médico são alguns dos motivos que atrasaram a tabela em mais de dois meses.

Tantos problemas acumulados mostram uma grande falta de organização. Mas, de certa forma, mesmo não sendo nada proposital, a competição "disputa" atenção dos paraibanos com a Copa. Como a Paraíba não é sede de jogos ou treinos de seleções, torcedores fanáticos dos clubes locais fazem das finais do estadual sua Copa do Mundo.

- Pela proximidade com Pernambuco, a Paraíba poderia até ser usada para alguma coisa na Copa. Mas sinceramente a gente aqui está muito focado no estadual mesmo. Estamos fazendo a Copa do Brasil da Paraíba. As pessoas estão aproveitando essas finais - disse Marco Vilarim, de 51 anos, integrante da Império Alvinegro, torcida organizada do Botafogo-PB.

O campeonato já dura incríveis seis meses, mesmo contando com apenas dez clubes. Na tabela inicial, o Paraibano, assim como todaos os outros estaduais no Brasil, terminaria antes do início da Copa do Mundo. Mas alguns jogos, logo nas primeiras rodadas, começaram a ser adiados, pois os dois principais estádios do estado, Almeidão e Amigão, ainda estavam em obras, por um projeto de revitalização do Governo, que teve início no meio do ano passado.

Ambos os estádios ainda não ficaram totalmente prontos. Por isso, para algumas partidas dos últimos meses, os organizadores do Paraibano conseguiram liberar pelo menos parte da arquibancada para dar andamento à competição. Para piorar, o Estádio da Graça, que pertence à Prefeitura de João Pessoa e seria uma alternativa ao Almeidão e ao Amigão, também começou a ser reformado neste ano.

Para tentar solucionar o problema, alguns jogos tiveram  de ser marcados com rodadas duplas, utilizando, assim, o mesmo estádio.

A falta de planejamento causou reflexo nas bilheterias. Se nestas finais do estadual as torcidas até têm apoiado, no início da competição teve jogo que registrou público zero. Na verdade, até contou espectadores: os operários que trabalhavam nas obras do local. Tal situação ocorreu no confronto entre CSP e Sport Campina, no Amigão.

A tabela do campeonato foi feita pela Federação Paraibana de Futebol, mas em abril deste ano, a presidente da entidade, Rosilene Gomes e toda sua diretoria foram afastadas por decisão da Justiça por supostas irrregularidades. Para tocar a competição, foi montada uma junta administrativa com três pessoas: Eduardo Faustini, diretor do Tribunal de Justiça da Paraíba, João Máximo, que já foi presidente do Auto Esporte, e Ariano Wanderley, ex-diretor de futebol do Botafogo. Este último reconhece os problemas do campeonato e prevê mudanças para o ano que vem.

- Nossa meta agora é terminar o campeonato. Tivemos muitos problemas por falta de estádios, jogos adiados e dois clubes disputando o estadual simultaneamente a outras competições. Talvez tenhamos que rever a fórmula do campeonato para os próximos anos, isso ainda vamos discutir - disse Ariano.

O primeiro jogo da final do Paraibano foi realizado na quarta-feira, no Almeidão, e terminou com uma vitória de 3 a 0 do Botafogo sobre o Campinense. A segunda e decisiva partida será neste domingo, um dia após o jogo do Brasil contra o Chile, pelas oitavas de final da Copa do Mundo. Veja abaixo algumas das situações inusitadas que contribuíram para os atrasos no cronograma do Campeonato Paraibano.

Campo sem marcação

Santa Cruz e Treze se enfrentariam no Estádio da Graça, mas o confronto foi cancelado por falta de marcação no gramado. Com todos já em campo, o árbitro da partida resolveu dar um prazo para que o problema fosse resolvido. A tinta no local não era suficiente e novos galões tiveram de ser comprados em cima da hora. Funcionários contaram com ajuda de integrantes dos próprios clubes, tentaram pintar as marcações, mas pela falta de tempo e linhas completamente irregulares, o árbitro optou por cancelar o jogo.

Na ocasião, o Treze utilizou sua conta oficial no twitter para ironizar a situação e postou algumas fotos do ocorrido. Em uma delas utilizou a legenda "Padrão Fifa".

Funcionários tentaram fazer a marcação no campo, mas ficou torto (Crédito: Twitter do Treze)



Gramado cheio de buracos

Reformado este ano, o Estádio da Graça foi liberado para o confronto entre Santa Cruz e Auto Esporte, pela terceira rodada do Estadual. Mas o campo estava cheio de buracos, com alguns locais sem grama alguma.

Na ocasião, o Auto Esporte venceu por 2 a 1. Segundo relatos da época, cinco atletas saíram de campo machucados. Após esta partida, a Graça foi novamente fechada para reformas e as partidas que seriam no estádio tiveram de ser transferidas.

Fatalidade com médico

A partida entre Santa Cruz e Auto Esporte, já pelo segundo turno do Paraibano, também precisou ser adiada. Desta vez por uma fatalidade. O jogo estava pronto para ser iniciado, mas havia a falta de médico no local. O Santa Cruz, mandante, precisou correr atrás de um substituto e o encontrou.

O médico chegou ao estádio e foi bastante aplaudido pelos torcedores presentes. Mas, pouco depois, o profissional sofreu uma parada cardíaca e faleceu logo nos primeiros minutos do jogo.

Com a tragédia, o árbitro da partida decidiu adiar o confronto.

Campetições simultâneas

Como Botafogo e Treze estavam na Copa do Nordeste, não disputaram o primeiro turno do estadual e seriam integrados somente no segundo turno. Mas como várias rodadas iniciais foram adiadas, os dois clubes ficaram quase 60 dias sem jogar e, quando voltaram ao paraibano, também já iniciaram as disputas da Copa do Brasil e da Série C do Brasileiro. O que, mais uma vez, resultou em adiamentos de jogos por confrontos de datas.

Um jogo entre Botafogo e Treze do Paraibano, por exemplo, estava marcado simplesmente para a mesma data do confronto entre estes dois clubes pela Série C. Então, o jogo do estadual precisou ser remarcado.