icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
24/06/2014
14:58

A conhecida raça da seleção uruguaia apareceu novamente na Copa do Mundo. No sufoco, a Celeste venceu por 1 a 0 a Itália, nesta terça-feira, na Arena das Dunas, em Natal, e passou às oitavas de final, ao lado da Costa Rica (primeira colocada), no Grupo D.

O único gol do jogo foi marcado por Godín (de ombro), aos 35 minutos, da etapa final. O zagueiro já havia mostrado o seu faro de artilheiro em jogadas aéreas com a camisa do Atlético de Madrid no decorrer da temporada.

Apesar da vaga garantida, a Celeste ganha uma preocupação para sequência da competição. Suárez deu uma mordida em Chiellini no segundo tempo. O árbitro, no entanto, não puniu o atacante. Ainda assim, a maior estrela do time de Óscar Tabárez pode pegar um gancho e ficar fora do duelo contra o primeiro colocado do Grupo C do Mundial. O jogo vai acontecer no próximo sábado, às 17h, no Maracanã.



MUITA RAÇA E POUCAS CHANCES

Quando o assunto é um jogo entre Itália e Uruguai, espera-se uma partida brigada, disputada. Quando esse jogo é decisivo para definir o futuro das duas equipes na sequência da Copa do Mundo, então, nem se fala. Assim foi durante quase toda a primeira etapa do confronto: muita raça e poucas chances, exceto por dois bons momentos de perigo para os dois lados.

A única diferença entre Celeste e Azzurra foi que esta última, com a vantagem do empate para se classificar às oitavas de final, era esmagadoramente superior na posse bola, já que não tinha pressa para definir as jogadas. Os uruguaios, por sua vez, tentavam ser mais incisivos no ataque.

EXPULSÃO DIFICULTA E ITÁLIA NÃO RESISTE AO URUGUAI

Na etapa final, o Uruguai passou a ser ainda mais agressivo ao atacar. Aos 12 minutos, Suárez fez ótima tabela com Cristian Rodríguez e, frente a frente com Buffon, finalizou para fora.

Logo depois, Marchisio foi expulso ao fazer falta tola em Maxi Pereira, cravando as travas da chuteira nas pernas do adversário, e complicou a vida dos italianos, que passaram a, precocemente, pensar só em se defender. Prandelli mexeu no time e passou a jogar sem atacantes.

A partida passou a ser de um time só. Aos 20 minutos, Luisito, novamente, chegou perto de balançar as redes. Ele entrou na área e, de bico, chutou forte. Porém, Buffon apareceu para operar um milagre.


                   Chiellini reclama de mordida de Suárez no segundo tempo (Foto: AFP)

O gol, já maduro e que poderia ter saído de várias maneiras, só foi acontecer aos 35 minutos e de forma bastante inusitada, após uma cobrança de escanteio. Godín subiu mais que a defesa adversária e, ao errar o cabeceio, bateu com o ombro na bola e inaugurou o placar. Festa dos uruguaios.

Com o resultado, a Azzurra não teve outra escolha que não fosse partir para o ataque, mesmo sem atacantes de ofício e com todas as três alterações já realizadas por Prandelli. O time foi valente, mas não o suficiente para evitar a derrota para uma Celeste bem fechada e em superioridade numérica.

FICHA TÉCNICA
ITÁLIA 0 x 1 URUGUAI


Local: Arena das Dunas, em Natal (RN)
Data e hora: 24 de junho de 2014, às 13h
Árbitro: Marco Rodríguez (MEX)
Auxiliares: Marvin Torrentera (MEX) e Marcos Quintero (MEX)
Cartão Amarelo: Balotelli, De Sciglio (ITA); Arévalo, Muslera (URU)
Cartão Vermelho: Marchisio, 14'/2ºT (ITA)
Gols: Diego Godín, 35'/2ºT (0-1)

ITÁLIA: Buffon; Bonucci, Barzagli e Chiellini; Darmian, Verratti (Thiago Motta, 30'/2ºT), Pirlo, Marchisio e De Sciglio; Immobile (Cassano, 25'/2ºT) e Balotelli (Parolo, 45'/2ºT). Técnico: Cesare Prandelli.

URUGUAI: Muslera; Cáceres, Giménez, Godín e Álvaro Pereira (Stuani, 17'/2ºT); Arévalo Ríos, Álvaro González, Cristian Rodríguez (Ramírez, 32'/2ºT) e Lodeiro (Maxi Pereira, 45'/2ºT); Cavani e Luis Suárez. Técnico: Oscar Tabárez.